Slide
  • Posse: 26/10/2004 - (3º ocupante)
  • Fundador: Nicola de Stefano
  • Patrono: Dante Alighieri
  • Antecessor: Mário Hoeppner Dutra

Acadêmico

 

4 Yvonne Capuano 43612

YVONNE CAPUANO Nasceu em São Paulo em 1936. Ocupa a Cadeira número 4 da Academia Cristã de Letras, sucedeu a Mario Hoppner, tomando posse em 26/10/2004.

 

Formação:

Formou-se em 1964 pela tradicional Escola Paulista de Medicina.

Tem o título de mestre em Educação, Administração e Comunicação pela Universidade São Marcos.

Exerceu a profissão nas áreas de clínica médica e medicina de urgência junto ao Hospital Nove de Julho e Same (Serviço de Assistência Médica)

Publicou diversos trabalhos científicos em revistas e livros especializados, no Brasil e no exterior.

Em 1982 assumiu a presidência da Indústria de Panelas de Pressão Clock, empresa familiar, uma das maiores metalúrgicas de São Paulo. Continuou, no entanto, a se atualizar em diferentes especialidades da medicina, frequentando os cursos regularmente ministrados pelo Centro Médico do Hospital Sírio-Libanês. Atualmente, é conselheira da AACD - Associação de Assistência à Criança Deficiente, da Fundação Zerbini - Incor, e do CIEE - Centro de Integração Empresa-Escola, entre outras entidades.

É também diretora da APM - Associação Paulista de Medicina, da FIESP/CIESP - Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo e do PEC - Projeto Educacional Capuano (organização social sem fins lucrativos). Pertence à Academia Paulista de História à Academia Cristã de Letras, à Associação de História da Medicina, ao Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e à Academia de Medicina de São Paulo, da qual foi presidente.

 É fundadora do Movimento Mulheres da Verdade.

 

Bibliografia:

 A revolução de 1924 em São Paulo. Revista da Academia Paulista de História, São Paulo, v. 122, 2005  - Yvonne Capuano.

A presença da mulher na luta paulista. Revista da Academia Paulista de História, São Paulo, v. 116, 2004 - Yvonne Capuano.

Sob a metralha: o esforço médico durante a Revolução de 1924. 450 Anos de História da Medicina Paulista, São Paulo, 2004 - Yvonne Capuano.

A participação das mulheres na Revolução Farroupilha. Beletim da Academia Paulista de História, São Paulo, v. 91, p. 7-8, 2002 - Yvonne Capuano.

Garibaldinos em festa. Oriundi, São Paulo, p. 19-20, 2002 - Yvonne Capuano.

Tra sogni e utopie: Anita e Giuseppe Garibaldi. Anita, la giovinezza dela rivoluzione. Ministero Per i Beni e Le Attivitá Culturali , Roma, v. 1, p. 25-29, 2001 - Yvonne Capuano.

Carlota Pereira de Queirós. Boletim da Academia Paulista de História, São Paulo, v. 83, p. 7-8, 2001 - Yvonne Capuano.

Garibaldi a San Marino. II Titano, São Paulo, v. 11, n.3, p. 10-11, 2001 - Yvonne Capuano.

Aspectos Clínicos da hipoplasia uterina como causa da esterilidade. Folha Médica , p. 55-57, 1967 - Yvonne Capuano.

Lima, G R ; CISCATO, J G ; CARVALHAL, S ; CHIORBOLI, e . Masculinizing lipoid cell tumor of the ovary. Obstetrics and Gynecology (New York) , v. 28, p. 209-212, 1966 - Yvonne Capuano.

Matris Anima Curant - As pioneiras médicas: Maria Augusta Estrela e Rita Lobato. Línea Médica, 2002. 207p - Yvonne Capuano.

Garibaldi: o Leão da Liberdade. 1. ed. Totalidade: São Paulo, 2000. 462p  - Yvonne Capuano.

De Sonhos e Utopias.: Anita e Giuseppe . 1. ed. Melhoramentos: São Paulo, 1999. 910p - Yvonne Capuano.

Celestino Bourroul, um exemplo de vida. Suplemento Cultural da Associação Paulista de Medicina, São Paulo, , v. 145, 01 dez. 2003 - Yvonne Capuano.

Maria Waleska, a amante de Napoleão. Suplemento Cultural da Associação Paulista de Medicina, São Paulo, , v. 139, 01 jun. 2003 - Yvonne Capuano.

As primeiras enfermeiras. Suplemento Cultural da Associação Paulista de Medicina, São Paulo, , v. 137, 01 abr. 2003 - Yvonne Capuano.

As primeiras academias. Boletim da Academia Paulista de História, São Paulo, , v. 5, p. 1 - 1, 01 nov. 2002 - Yvonne Capuano.

Carlota Pereira de Queirós, uma pioneira da medicina. Jornal Brasileiro de História da Medicina, São Paulo, , v. 5, 01 nov. 2002 - Yvonne Capuano.

Anita Garibaldi. Jornal da Academia Paulista de Medicina, São Paulo, , v. 127, p. 2 - 3, 01 maio 2002 - Yvonne Capuano.

Há 160 anos casavam-se Anita e Giuseppe Garibaldi. Boletim da Academia Paulista de História, São Paulo, , v. 94, p. 3 - 3, 01 maio 2002 - Yvonne Capuano.

Polêmica sobre a morte de Anita Garibaldi. Jornal Brasileiro de Hstória da Medicina, São Paulo, , v. 3, 01 nov. 2000 - Yvonne Capuano.

Celestino Bourroul, um exemplo de vida. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação) - Yvonne Capuano.

Carlota Pereira de Queirós, uma pioneira da medicina. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação) - Yvonne Capuano.

Carlota Pereira de Queirós, uma pioneira da medicina. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação) - Yvonne Capuano.

Polêmica sobre a morte de Anita Garibaldi. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação) - Yvonne Capuano.

Polêmica sobre a morte de Anita Garibaldi. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação) - Yvonne Capuano.

 

Outras Publicações:

Avaliação do nível de sofrimento imposto pelas doenças tropicais no Brasil e do impacto destas doenças na economia do país. 1993. (Debatedora de Mesa Redonda). - Yvonne Capuano.

 

Prêmios:

Recebeu inúmeros prêmios e condecorações por suas atividades empresariais e culturais.

2006 - Gente que Faz, Assembléia Legislativa do Esatdo de São Paulo.

2006 - Homenagem Dia Internacional da Mulher, Golden Cross.

2006 - Dia Internacional da Mulher, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

2006 - Mulher em Sol Maior, Associação Mulheres em Sol Maior - AMESOL -SP.

2005 - Placa Comemoratica do Dia Internacional da Mulher: Exemplo de Médica e Cidadã, Conselho Regional de Medicina - SP.

2005 - Dia Internacional da Mulher, Golden Cross.

2005 - Diploma de Homenagem pelo Dia Internacional da Mulher, CIESP Zona Sul.

2005 - Prêmio Liaterário Érico Veríssimo, Câmara Municipal de Porto Alegre (RS).

2005 - Mulher-Destaque, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

2005 - Medalha Cultural Aluísio de Almeida, Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba (SP).

2004 - Dia Internacional da Mulher, AVB - Palácio do Governo - SP.

2004 - Homenagem, Associação das Médicas Brasileiras de Blumenau - SC.

2004 - Dia Internacional da Mulher, Vereador Gilberto Nataline, Câmara Municipal de São Paulo.

2004 - Diploma do mérito da Solidariedade, Entidade Mãos Solidárias - Ações Compartilhadas - Associação de Famílias de Rotarianos de São Paulo.

2004 - Business and Professional Women, São Paulo.

2004 - Colar Alvarenga e Heróis Anônimos, Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba.

2004 - Sete de Setembro, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

2004 - Exemplo de Cidadania, LIBRA - Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil - SP.

2004 - Irmãos Vilas Boas, Humanistas (Celebração da Paz).

2003 - Medalha de Gratidão, Fundação Zerbini - INCOR - SP.

2003 - Dia Internacional da Mulher, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

2003 - Onorificenza di Ufficiale delll'Ordine al Merito della Republica Italiana, Governo da Republica Italiana (Roma).

2003 - Homenagem, Centro de Cultura Italiana de Curitiba - PR.

2003 - Homenagem, Museu Giuseppe Garibaldi, Montevidéu (Uruguai).

2003 - Anita Garibaldi, Instituto Giuseppe Garibaldi - RS.

2002 - Mulheres que fazem a diferença, Rotary Internacional, Distrito 4430 (SP).

2002 - Women of distiction, Soroptismist International of São Paulo.

2002 - Diploma de Gratidão, Rotary Club de São Paulo - Bela Vista.

2002 - Empresário do Ano, Jornal da Zona Leste - SP.

2002 - Mulheres de Expressão, Fundação Dorina Nowill - SP.

2002 - Diploma de mérito, na área de Educação, Soroptimist International of de Americas - SP.

2002 - Medalha do Mérito Cultural Oscar Bertholdo, Câmara municipal de Bento Gonçalves.

2002 - Anita Garibaldi - Destaque 2002, Associação Giuseppe e Anita Garibaldi - RS.

2002 - Loba Romana, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

2002 - Circolo Italiano di Itapira, .

2002 - Homenagem, Fundação Catarinense de Cultura - SC.

2002 - Homenagem, Instituto Anita e Giuseppe Garibaldi - RS.

2002 - Trofel, Camunità Italo-Brasiliana del Paraná e Santa Catarina - PR.

2001 - Vênus de Milo - Dia Internacional da Mulher, Câmara Municipal de São Paulo.

2001 - Perfomance Brasil, Guarujá, SP.

2001 - Dia Internaiconal da Mulher, Comissão Esatdual dp PTB Mulher (SP).

2001 - Guerreiro - Destaque 2001, .

2001 - Scuola Italiana d'Arte, .

2001 - Diploma Benemerito della Comunità Italo-Brasiliana, COMITES - SP.

2001 - Stella al Merito Garibaldino instituita da Giuseppe Garibaldi nem 1863 per la Fedeltà agli Ideali della Tradizione Garibaldina, Associazione Nazionale Veterani e Reduci Garibaldini.

2001 - Comenda Anita Garibaldi, Instituto Histórico e Cultural Giuseppe e Anita Garibaldi - RS.

2001 - Medalha do Mérito Anita Garibaldi, Governo do Estado de Santa Catarina.

2000 - Troféu Liderança Regional, Jornal A Rua (Santana do Parnaíba, SP).

2000 - Medalha Comemorativa do Dia Internacional da Mulher, Câmara Municipal de São Paulo.

2000 - Vip's do Mercosul, .

2000 - Troféu Mulher Destaque 2000, Associação das Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil - PBW (RJ).

2000 - Colar do Centenário pela publicação do livro: De Sonhos e Utopias: Anita e Giuseppe Garibaldi - considerada a melhor olbra de História de 1999, Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.

2000 - A Força de um Povo, Jornal: O Eco do Vale - RS.

2000 - Guarita 2000, Destaque.

2000 - Diploma de Benemérita da Comunità Italo-Brasiliana, Colônia Calabresa do Rio de Janeiro.

2000 - Voto de júbilo e de congratulações, Câmara Municipal de São Paulo.

1999 - Anita Garibaldi, Jornal O Eco do Vale - RS.

1999 - Troféu da Associação das Soroptimistas, Associação das Soroptimistas (RS).

1999 - Diploma e Medalha: Anita Garibaldi, Governo do Estado de Santa Catarina.

1999 - Noite de Gala, Jornal: A Notícia.

1999 - Troféu, Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE - SP.

1999 - Giuseppe Garibaldi, Jornal: O Eco do Vale - RS.

1999 - Placa Giuseppe Garibaldi, Jornal: O Eco do Vale - RS.

1999 - Diploma al Merito dell Consiglio Generale Italiani All'Estero, .

1999 - Certificado de Reconhecimento pela obra: Anita Garibaldi e Giuseppe Garibaldi, Centro de Letras do Paraná - PR.

1996 - Dia Internacional da Mulher, Homenagem das Companheiras Soroptimistas de São Paulo.

1996 - Homenagem das Mulheres de Negócios e Profissionais do Estado de São Paulo, .

1995 - Personalidade, Empresa Jornalística Baixada Santista.

1994 - Homenagem da Diretoria da Associação das Mulheres de Negócios e Profissionais do Estado de São Paulo, Associação das Mulheres de Negócios e Profissionais do Estado de São Paulo.

1993 - Dia Internacional da Mulher, Confederações de Mulheres do Brasil (Senado Federal).

1991 - Homenagem das Mulheres de Negócios e Profissionais do Estado de São Paulo, .

1991 - Diploma do Clube de Regatas Tietê por ter contribuído na formação do 'Jovem de hoje, homem de amanhã', .

1989 - Mulher Empresária do Ano, Programa de Destaque da Rede Record de Televisão.

1989 - Mulher Nota 10, Imagem Sistema de Comunicação Integrada.

1989  - Prêmio Coração de Ouro - Destaque do ano, New Year.

1988 - Mulher Empresária do Ano, Programa de Destaque da Rede Record de Televisão.

1987 - Gran Medalha Republicana Latino-Americana, .

1986 - Troféu Mulher Alarde, Categoria Empresarial.

1985 - la Grande Dame 1985, Vouve Clicquot.

1985 - Grande Prêmio da Crítica no setor de Música Erudita, Associação Paulista de Críticos da Arte.

1985 - Troféu Gente que Faz, Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

1985 - Ordem de Mérito de Educação e Integração, .

1984 - Prêmio Ela - a melhor empresa do ano, TV Bandeirantes.

1984 - Destaque Profissional, Instituto Brasileiro de Expansão Cultural - SP.

1984 - Troféu Medalha de Ouro à Qualidade do Brasil, Clock S. A..

1984 - Troféu Tanit - Melhor Imagem de Marca, Lima - Peru.

1984 - Personalidade do ano - Empresária, Instituto Brasileiro de Administração e Desenvolvimento Educacional.

1983 - Troféu Tanit - Melhor Imagem de Marca, Buenos Aires, Argentina.

1983 - Cruz do Mérito Cívico e Cultural - grau de dama comendadora, Governo do Estado de São Paulo.

1981 - Medaile de Reconnaissance Franco-Américaine en raison des services sociaux et humanitaires rendus deux pays, Conseil National de I'Institut Humaniste - USA (ONU).

1981 - Medalha Santos-Dumont, Instituto Histórico de Aviação - RJ. 

Acadêmico anterior


Posse: 26/09/1984 - (2º ocupante)


Mário Hoeppner Dutra(1914-1997)Mário Hoeppner Dutra, mais conhecido por Hoeppner Dutra, nasceu em Santa Bárbara D’Oeste (SP) e se graduou pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, em 1936. Atuou como fiscal de rendas do Estado, inspetor federal de ensino, assessor na 1a Delegacia de Segurança Pública e advogado. Ingressou na Magistratura paulista em 1940. Foi juiz na 15a Circunscrição, sede em São Carlos, e nas comarcas de Queluz (1941-1946), Casabranca, até chegar em São Paulo.

Em sua passagem pelo interior, tinha como passatempo as pescarias e gostava de fazer fotografias. A inscrição por ele deixada em uma pequena placa de pesqueiro, no interior, revela bem a sua culta, poética e reflexiva personalidade: “Com jeito se pega peixe, com jeito tudo se faz. O difícil é dar jeito ao jeito, o que nem todo mundo é capaz!

Mário Hoeppner Dutra ascendeu, em 1967, ao Tribunal de Alçada Criminal, onde foi de vice-presidente e um dos mais novos desembargadores a terem galgado essa condição. Desistiu de concorrer à presidência para assumir o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, onde se aposentou, a pedido, em maio de 1979.

Mário Hoeppner Dutra foi membro da União Brasileira de Escritores (UBE), Academia Paulista de Direito, Academia Paulista de Magistrados e Academia Cristã de Letras. Gostava de pintar e também se destacou como escritor e poeta. É de sua autoria a trova:

“Não sei se é fato ou se é fita,
Não sei se é fita ou se é fato,
O fato é que ela me fita,
Me fita mesmo de fato.”

Dentre os artigos que escreveu, salientam-se: “O Furto de Uso em Face ao Novo Código Penal” (1969), publicado no periódico Julgados dos Tribunais da Alçada de São Paulo, e “A Evolução do Direito Penal e o Júri”, publicado na Revista dos Tribunais (1974). Ademais, são de sua lavra as obras: O Furto e o Roubo (1955, livro de direito que trata dos crimes contra o patrimônio); Perfis (1981, discursos e poemas); e Boemia do Silêncio (1995, poesias).

Faleceu em 15 de junho de 1997, aos 83 anos. Em sua homenagem foi realizado de 2 a 30 de abril de 2019, o “1º Salão de Belas Artes”, na sede do Museu do Tribunal de Justiça de São Paulo. A mostra reunia oito telas de autoria de Hoeppner Dutra, bem como de outros magistrados.


 

Texto feito pelo acadêmico Helio Begliomini, segundo ocupante da cadeira no 10 da Academia Cristã de Letras, tendo por patronesse Marie Barbe Antoinette Rutgeerts van Langendonck.

Fundador


Posse: 01/12/1967 - (1º ocupante)


Nicola de Stefano(1907-1983)Nicola de Stefano nasceu em Corleto Pericara, na Itália, em 1907. Veio ao Brasil e se radicou na cidade de São Paulo.

Destacou-se como escritor e, particularmente, como poeta. São de sua lavra as obras: La Voce Del Cuore (poesias); Retalhos de Minh’Alma (poesias) e Le Ricordanze (inédito, em prosa).

Nicola de Stefano foi um dos entusiastas da Academia Cristã de Letras. Esteve presente na sessão de fundação da entidade, em 14 de abril de 1967, ocorrida no 26o andar do edifício do Clube Piratininga, situado à Rua Formosa, no 367, no centro da capital paulista.

Nessa efeméride, em que foi apresentado e aprovado o Estatuto, estavam presentes os poetas: Bernardo Pedroso, Afonso Vicente Ferreira, Nicola De Stefano, Antonio Lafayette Natividade Silva (quem lavrou a ata), e os professores Sérgio Covello e Evald Behrmann, que não chegou a fazer parte da entidade.

Ocupou a cadeira no 4, tendo escolhido para seu patrono Dante Alighieri.

Nicola de Stefano faleceu em 21 de julho de 1983. Seu nome consta como verbete na Enciclopédia de Literatura Brasileira, dos autores Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa, da Fundação Biblioteca Nacional, Academia Brasileira de Letras, 2001: 2 volume.


 Texto feito pelo acadêmico Helio Begliomini, segundo ocupante da cadeira no 10 da Academia Cristã de Letras, tendo por patronesse Marie Barbe Antoinette Rutgeerts van Langendonck.
 

Patrono

 

Dante Alighieri(1265-1321)Dante Alighieri nasceu entre 21 de Maio e 21 de Junho de 1265, em Florença, Itália. Faleceu em 14/09/1321, em Ravena (Itália).

Filho de importante família florentina, não se sabe a data exata de nascimento de Dante Alighieri, o poeta que definiu e estruturou o idioma italiano moderno. A península Itálica na sua época era um mosaico de pequenos Estados que não compartilhavam sequer a Mesma língua ou cultura.

Aos nove anos de idade Dante conheceu Beatrice (Beatriz) Portinari, que seria a musa inspiradora ao longo de sua obra: com 16 anos ele voltou a encontrá-la e escreveu para ela o primeiro de seus famosos sonetos de amor. Dois anos depois, casou-se com Gemma, com quem teve três filhos. O casamento estava combinado entre as famílias desde a infância dos noivos.

O amor por Beatriz deu a partida na moda do amor romântico em italiano. A morte da amada, em 1290, levou Dante ao estudo de filosofia latina e religiosa, conhecimentos que emperraram sua principal obra."Divina Comédia" conta uma viagem imaginária de Dante. O poeta romano Virgílio, seu autor clássico preferido, é o guia no caminho pelo Inferno e Purgatório, onde se encontram personalidades históricas e muitos poderosos da época. No Paraíso, Dante é levado por sua amada Beatriz a um final feliz.

A decisão de Dante de escrever seu grande poema em italiano, a língua falada pelo povo - e a inovação, no século seguinte, da imprensa de tipos móveis, foram marcos na Alfabetização e na liberalização da sociedade européia.

O poeta foi médico-farmacêutico, mas não estava interessado na profissão. Entrou na guilda (corporação de ofício) dos boticários por causa de uma lei de 1295, que reservava os cargos públicos a nobres membros de alguma Corporação de Artes e Ofícios.

Dante combateu ao lado dos cavaleiros florentinos, em 1289, contra os de Arezzo. De 1295 a 1300, fez parte do Conselho dos Cem, que governava a cidade. Ele chefiou uma delegação de embaixadores de Florença a Roma, para negociar a paz com o papa Bonifácio 8º., que enviara uma tropa para pacificar a região da toscana. Exceto Dante, a comitiva retornou à cidade. Enquanto ele estava retido pelo papa, a cidade foi ocupada por uma facção rival, que matou a maioria dos membros do partido ao qual o poeta era ligado.

Dante foi condenado ao exílio pelo novo governo de Florença. Se fosse capturado por soldados da cidade seria queimado vivo. Após passar por vários principados, em 1318, ele foi convidado para ser hóspede de Guido Novello da Polenta, príncipe de Ravena, onde morreu em 1321, o mesmo ano em que terminou de escrever os versos do Paraíso, a parte final de sua "Divina Comédia".

Discurso de recepção

Discurso de recepção - Cadeira nº 04

Discurso de posse

Discurso de posse - Cadeira nº 04