Membros Beneméritos

Membros Beneméritos após 2000:

  • José Maria Chapina Alcazar - 13 de julho de 2010

chapina 1 3b19e

JOSÉ MARIA CHAPINA ALCAZAR, contador e empresário, recebeu o título de Membro Benemérito da Academia Cristã de Letras, em 13 de julho de 2010, por seus relevantes serviços prestados à nossa entidade. Iniciativa do ilustre Professor Paulo Nathanael Pereira de Souza, então presidente da ACL.

A entrega do título aconteceu durante um almoço comemorativo realizado na sede do SESCON/SP, situado na Avenida Tiradentes, 960 - Luz, São Paulo. Participaram da Comissão de entrega do título de Membro Benemérito, junto com o Professor Paulo Nathanael Pereira de Souza, os acadêmicos Helio Begliomini, Frances de Azevedo e Rosa Maria Custódio, entre outros.

Para comemorar os 11 anos da presença de José Maria Chapina Alcazar como Membro Benemérito da ACL, vamos traçar uma linha do tempo mais longa, que se inicia lá em 1966, e assim acompanhar, com admiração e respeito, um pouco mais de sua trajetória profissional. Usaremos, como roteiro, sua atuação em algumas das muitas entidades e empresas, por onde passou e deixou sua marca de eficiência:

Em 1966, José Maria Chapina Alcazar começou a trabalhar com João Alcazar Filho, seu tio avô, na Alcazar & Monteiro, onde o jovem José Maria atuou no setor de legalização da empresa.

Em 1971, José Maria Chapina Alcazar assumiu o escritório contábil da Alcazar & Monteiro e foi então que nasceu a SETECO Consultoria Contábil, uma empresa comprometida com a gestão da infraestrutura contábil das outras empresas.

Em 1984, nasceu a ASPLAN Soluções em Sistemas ERP, empresa especializada em soluções inteligentes de gestão de dados corporativos e contábeis.

Em 1985, a SETECO Consultoria Contábil atualizou seu sistema tecnológico e passou a contar com uma rede estruturada para melhor servir seus clientes. Este diferencial, conjugado com seu compromisso de bem gerir a infraestrutura contábil das outras empresas, possibilitou que a SETECO Consultoria Contábil se destacasse no cenário estadual e nacional.

Em 1989, a SETECO Consultoria Contábil tornou-se pioneira no mercado por ser a primeira empresa de contabilidade a contratar o Seguro de Responsabilidade Civil Profissional, apólice nº 1 da Ace Seguros. Ainda nesse ano, por interligar sistemas de informação, passou a ser conhecida como a primeira empresa de contabilidade sem papel e foi pauta de uma reportagem especial do programa Pequenas Empresas Grande Negócios, da TV Globo.

Em 1990, a integração com os clientes e a transmissão de documentos e informações passou a ser feita através da tecnologia BBS (Bulletin Board System): sistema de informática que permite a conexão via telefone e a interação através do computador. Além de possibilitar a distribuição de aplicativos e informações, esse sistema proporciona a integração das empresas com seus funcionários externos, facilitando a troca de informações.

Em 1994, a empresa SETECO Consultoria Contábil mudou-se para sua sede própria:

Rua Loefgren, 1387 - Vila Mariana, São Paulo - SP, 04040-031

Em 1996, José Maria Chapina Alcazar iniciou sua participação política no SESCON E AESCON-SP (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo, fundado em 12 de janeiro de 1949 com a denominação de Associação Profissional das Empresas de Serviços Contábeis de São Paulo. O processo de transformação em entidade sindical teve início após a fundação, junto ao então Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio).

Em 1998, a SETECO Consultoria Contábil passou a fazer uso do ASP.NET (uma estrutura da WEB que possibilita a criação de sites e aplicativos) e assim desenvolver softwares de gestão contábil e melhor atender as necessidades cotidianas de escritórios de contabilidade e clientes.

Em 2000, José Maria Chapina Alcazar foi considerado o Profissional de Contabilidade do Ano. Pelo destaque em sua área profissional, recebeu o Prêmio ANEFAC (da Associação Nacional de Executivos, que incentiva o Pioneirismo, a Educação Continuada, a Transparência Governamental e Empresarial, o Aprimoramento Profissional, o Networking e Redução do Custo Brasil).

De 2001 a 2003, José Maria Chapina Alcazar fez parte da 23ª Diretoria da SESCON-SP, como Vice-presidente da entidade.

Em 2004, dois eventos marcaram ainda mais a brilhante trajetória profissional de José Maria Chapina Alcazar: a ampliação da sede própria da SETECO Consultoria Contábil e a conquista da Medalha de Mérito Profissional Carlos de Carvalho.

chapina 2 fc32c

De 2004 a 2006, José Maria Chapina Alcazar fez parte da 24ª Diretoria da SESCON-SP, como Vice-presidente da entidade.

Em 2005, a SETECO Consultoria Contábil recebeu o selo PQEC (Programa de Qualidade das Empresas Contábeis, instituído pelo SESCON-SP) e o Prêmio Top Of Quality. Ainda nesse ano, a SETECO Consultoria Contábil foi pioneira na adoção da tecnologia VOIP (Voice over Internet Protocol) em seus processos de comunicação. (Tecnologia que utiliza a internet para realizar chamadas telefônicas, onde a voz humana é transportada pela rede como qualquer outro tipo de arquivo, transformada em pacotes de dados e enviada para o destinatário, celular ou computador).

De 2007 a 2009, José Maria Chapina Alcazar fez parte da 25ª diretoria da SESCON E AESCON-SP, como Presidente da entidade.

Em 2010, a SETECO Consultoria Contábil recebeu destaque no telejornal da SPTV 1ª edição, em reportagem sobre o futuro da profissão contábil, com a participação de Adriana Alcazar, Diretora Técnica da empresa.

De 2010 a 2012, José Maria Chapina Alcazar fez parte da 26ª Diretoria da SESCON E AESCON-SP, como Presidente da entidade.

Em 2011, a SETECO Consultoria Contábil conquistou a certificação ISO 9001:2008 (da Organização Internacional de Normatização, entidade fundada em 1947, com sede em Genebra, na Suíça, que estabelece os padrões de normatização, orientação e controle das ações relacionadas ao registro e à fiscalização do exercício da profissão contábil, bem como a regulamentação da Educação Continuada, visando a melhoria contínua e a eficácia nos trabalhos realizados em prol da classe contábil).

Em 2012, José Maria Chapina Alcazar foi reconhecido como Profissional 2012 e recebeu o Diploma de Honra ao Mérito Sindcont (do Sindicato dos Contabilistas de São Paulo).

De 2012 aos dias atuais, sua participação se expandiu em várias direções, ampliando sua atuação e influência em seguimentos importantes da sociedade brasileira, tanto na área empresarial como governamental:

JOSÉ MARIA CHAPINA ALCAZAR é Presidente da SETECO EMPRESA DE CONSULTORIA CONTÁBIL (desde 1971) e da ASPLAN SOLUÇÕES EM SISTEMAS ERP (desde 1984).

Foi vice-presidente da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO (ACSP), Coordenador do Conselho de Assuntos Fiscais, Contábeis e de Serviços dessa mesma entidade; Membro do Conselho de Assuntos Tributários da FECOMERCIO; Membro do Conselho Superior de Economia da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo); Conselheiro do SENAI; Membro do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil 5ª Seção Regional; Membro do Núcleo de Altos Temas do Sindicato da Habitação - SECOVI; Conselheiro do CODECON (Conselho de Defesa do Contribuinte do Estado de São Paulo); Conselheiro Fiscal, no SEBRAE-SP e CIEE-SP; e Membro da SASDE (Sociedade de Amigos da 2ª. Divisão do Exército).

Outras realizações, conquistas e participações relevantes de José Maria Chapina Alcazar:

– Autor de diversos artigos (publicados na mídia impressa e digital, repercutidos nas emissoras de rádio) sempre atuou em defesa da simplificação e questionou o excesso de burocracia e carga tributária.

– Movimento em defesa do empreendedorismo quanto à edição da MP 232, que pretendia tributar todas as prestadoras de serviços, em conjunto com as demais entidades empreendedoras, como ACSP, FIESP e 132 entidades do Fórum Permanente do Empreendedorismo, onde atuou como secretário e articulador político perante as entidades. O mesmo ocorreu com a mobilização e extinção da CPMF.

– Criação da Frente Brasileira do Terceiro Setor, em defesa das entidades que preservam a ética, e a regularidade administrativa e fiscal.

– Criação do Programa de Qualidade das Empresas de Contabilidade do SESCON SP.

– Criação do Programa SESCON Solidário, com maior destaque na formação do jovem aprendiz.

– Integrante, por mais de uma década, do Conselho de Defesa do Contribuinte do Estado de São Paulo – nomeado pelo Governador do Estado, como representante do contribuinte e em defesa do empreendedorismo.

– Coordenou a criação do Microempreendedor Individual - MEI (na gestão de Guilherme Afif Domingues, então Secretário do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo e presidente do Programa Estadual de Desburocratização). Com os recursos disponibilizados pelo SESCON, secretariou os trabalhos de dois consultores estratégicos (Dr. Constantino e Dr. Leone) e obteve a aprovação do governo federal e a colaboração dos Contabilistas, que atenderam gratuitamente os microempreendedores durante um ano e, em retribuição, receberam o direito de optar pelo Simples Nacional.

– Liderou, pela ACSP, o movimento contra a intenção do Governo Federal de unificar o PIS e COFINS, o que geraria grande aumento da carga tributária. Houve grande repercussão nos meios de comunicação, como TV GLOBO, SBT, BANDEIRANTES, Radio e muitos outros.

– Coordenou a mobilização pela derrubada do Pacto 4 da República em Brasília, onde o governo pretendia a execução sumária das dívidas tributárias já na instância administrativa. Elaborou, junto com juristas renomados, como o Dr. Ives Gandra Martins e outros, o Parecer de Inconstitucionalidade, entregue ao Dr. Michel Temer, então Presidente da Câmara. Como resultado, conseguiram obstruir o trabalho da comissão, com a ajuda do Deputado Arnaldo Faria de Sá, que aderiu à causa.

– Coordenou o Conselho do Setor de Serviços da ACSP desde a fundação, por uma década, levando serviços à base associativa, bem como criando mobilizações em defesa do empreendedorismo.

– Criou, pelo SESCON, a Secretaria da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, dirigido pelo Deputado Itamar Franco.

José Maria Chapina Alcazar, como palestrante e articulista, é constantemente convidado por diversos órgãos e entidades para discorrer sobre temas relacionados à política e à sua área de atuação: Profissão Contábil, Custo Brasil, Carga Tributária, Planejamento Tributário, e diversos outros.

Com a sabedoria e o conhecimento adquiridos em sua larga experiência profissional, ele vai lançando luz e mostrando meios mais eficientes de administrar os problemas e desafios que surgem no dia a dia das empresas, dos empreendedores e das pessoas em geral.

Destacamos aqui, sua participação na 8ª. Região da Receita Federal de São Paulo, onde falou para mais de 200 auditores da Receita Federal e deixou, mais que um conselho, a reinvindicação para deixarem o empreendedor trabalhar: flexibilizando o atendimento na fiscalização, dando maior segurança jurídica a quem produz, antes de autuar de pleno.

Como resultado, houve uma significativa mudança no comportamento daquele órgão da Receita Federal na maneira de tratar o contribuinte: passaram a pedir esclarecimentos, a dar prazo para a regularização, sem multas de oficio, e proporcionando maior tranquilidade ao empreendedor, contribuinte e pagador de impostos.

Neste mesmo tom, ele fez a palestra no Sindicatos dos Agentes Fiscais do Estado de São Paulo, com mais de 500 auditores.

Entre as Honrarias que recebeu, podemos citar:

MEDALHA ANCHIETA e Diploma de GRATIDÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO, concedidos pela Câmara Municipal paulistana;

Medalha JOAQUIM MONTEIRO DE CARVALHO, Medalha PEDRO PEDRESCHI e MERITO CONTÁBIL, concedidos pelo Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo;

Medalha BRIGADEIRO TOBIAS, da Polícia Militar do Estado de São Paulo;

Medalha ANIBAL DE FREITAS, do Sindicato das Empresas de Assessoramento, Pericia, Informações e Empresas de Contabilidade do Estado de São Paulo, SESCON-SP;

Medalha ODIL DE SÁ, O CONCILAIDOR, do Sindicato dos Corretores de Imóveis de São Paulo;

– Título de MEMBRO BENEMÉRITO, concedido pela Academia Cristã de Letras;

Diploma de “HONRA AO MÉRITO”, da Câmara Municipal de Araraquara;

Diploma de MÉRITO PROFISSIONAL e Medalha LAURO RIBAS BRAGA outorgada pelo Rotary Club São Paulo Norte;

LAUREA MAÇONICA da Loja Maçônica Força, Lealdade e Perseverança 319.

Rosa Maria Custódio – ACL - 24/06/2021

(Fonte: Presidência da SETECO Consultoria Contábil)

 

 - PUBLICAÇÃO DE 2011 - 

 

CONTABILISTA NO TOPO DO PRESTÍGIO

José Maria Chapina Alcazar*

A constatação é das empresas que buscam profissionais no mercado, as chamadas “caçadoras de talentos”. Cada vez mais as organizações procuram executivos da área contábil, tendência internacional que revela a importância dessa categoria profissional para a eficácia dos empreendimentos. Para nós, que militamos na área, a procura de quadros especializados em contabilidade ou de consultorias de serviços contábeis de comprovada competência não constitui novidade.

Há tempos identificamos que, em cenário de economias interdependentes e globalizadas, que estão a exigir decisões complexas, organizações de todos os portes e setores não podem abrir mão de profissionais como os contabilistas, eis que de seus conhecimentos dependem o acerto de decisões em áreas essenciais como a financeira, a tributária e a de controles, para citar algumas que são cruciais no sistema produtivo das Nações.

Várias empresas de recrutamento de executivos, aqui e no exterior, realizaram pesquisas que confirmam a tendência. Uma das mais completas foi feita pela Consultoria Robert Half, que ouviu cerca de 1.900 responsáveis pela contratação nas empresas, em dez países. Na síntese de seu levantamento, concluiu que, no primeiro semestre de 2011, nada menos de 36% dos consultados pretendem aumentar suas equipes de executivos no Brasil, sendo que perto de 40% justamente na área da contabilidade.

O interessante é a análise que pesquisadores da Robert Half fazem para explicar a ampliação dessa demanda em nosso País. O contabilista, no Brasil mais do que em outros países, é hoje um quadro estratégico para todas as áreas das corporações. Basta pinçar a planilha de nossa carga tributária, seguramente uma das mais elevadas do mundo.

O Brasil, como potência emergente, exige que os nossos especialistas se obriguem a uma constante atualização nas áreas fiscal e tributária, para acompanhar os prazos, as normas, decretos e regras de todos os calibres. O desafio que se impõe é o de criar sintonia com a velocidade das mudanças ou, em outros termos, conectar a antena com a tecnologia do conhecimento.

Não por acaso, as empresas que, conforme mostram as pesquisas, pretendem se instalar no Brasil em breve, têm dificuldade em entender a complexidade do ambiente fiscal e tributário nacional. Isso ocorre, principalmente, com executivos estrangeiros em posição de comando.

O contabilista, assim, deixa de ser um mero técnico para assumir a posição estratégica de aconselhamento, vital para a tomada de decisão de investidores, diretores e altos executivos. Há ao menos duas conclusões a extrair desses fatos.

A primeira é particularmente benfazeja: o contabilista é um profissional cada vez mais valorizado e, hoje, sua atuação pode ser comparada com a do advogado como operador do Direito e a do médico na área da Saúde. É por isso que propugnamos por vários anos e aplaudimos a decisão, tomada em 2010, de se fazer retornar, por força de Lei Federal, a obrigatoriedade do Exame de Suficiência, reconhecimento oficial de que o profissional de contabilidade reúne a capacitação exigida por um mercado em crescente expansão. Assim, mais do que uma exigência, trata-se de valorizar os conhecimentos de nossos profissionais.

A outra conclusão deriva da anterior. Mais do que nunca, o contabilista – executivo de empresa, empreendedor da área, jovem em início de atividade ou já maduro, não importa – está obrigado a se reciclar a cada dia, a considerar seu mister um aprendizado permanente. Esta atitude é fundamental não apenas porque vivemos um momento no qual a carreira deste profissional está em alta. Ela é mais do que necessária para consolidarmos, no mercado e na sociedade, a noção de que nossa atividade mudou de patamar e sua valorização deve ser prioritária em todos os empreendimentos que almejam sucesso nesses tempos de competitividade acirrada e busca de produtividade.

*José Maria Chapina Alcazar é empresário, presidente do SESCON-SP – Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo, da AESCON-SP – Associação das Empresas de Serviços Contábeis e coordenador do Fórum Permanente em Defesa do Empreendedor.