Slide
  • Posse: 26 de Agosto de 2020
  • Fundador: Maria Semiramis Miranda Mourão
  • Patrono: Cecília Meirelles
  • Antecessor: Genésio Cândido Pereira Filho

Acadêmico

 

marcia ettelli coelho 3a eaab1Médica formada pela Escola Paulista de Medicina (atual UNIFESP) em 1979 com atuação em Medicina do Trabalho.

É poeta, escritora, romancista, declamadora.

Pertence a: SOBRAMES (Sociedade Brasileira de Médicos Escritores Regional São Paulo) desde janeiro de 2010. É Vice- Presidente Sudeste da SOBRAMES Nacional (2019-2020).

ABRAMES (Academia Brasileira de Médicos Escritores)
Membro Titular cadeira 34 (posse em 11 de outubro de 2012).

MPN (Movimento Poético Nacional)
Membro desde 2017.

AJEB SÃO PAULO (Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil)
Membro titular (posse em novembro de 2018).

 

OBRAS PUBLICADAS:

01-Corpo Espelho D Alma ( médico didático ? Editora Scortecci 2001, reeditado em 2008 pela Editora Mentes Raras)
02-Andarilho - Em Busca De Se Encontrar (poesia ? Editora Scortecci 2003)
03-Rastros Na Areia (romance ? Editora Scortecci 2008)
04-Os Apóstolos Do Zodíaco (romance ? Editora Scortecci 2010)
05-Entre o Laço e os Nós (poesia ? Editora Scorteci 2011)
06-Indeléveis Inspirações (contos, crônicas e poesias ? Rumo Editorial 2015)
07-Memórias Literárias - Sobrames SP (Rumo Editorial 2018)
08-No Instante em que Li Estrelas (Rumo Editorial 2019)

PARTICIPAÇÃO EM ANTOLOGIAS:

01-Mulheres Médicas Em Tempo de Poesia Sobrames Nacional (2000)
02-Tempo Definido ? 20 Anos da Scortecci Editora (2002)
03-A Pizza Literária ? Décima Fornada ? Sobrames SP (2010)
04-Antologia Sobrames SP (2011)
05-A Pizza Literária ? Décima Segunda Fornada ? Sobrames SP (2012)
06-Um Olhar Sobre Itu ? ACADIL (2012)
07-Coletânea de Excelência ? ABRAMES (2012)
08-Seleta Cultural de Natal ? L P Books (2012)
09-Antologia ? Sobrames SP (2013)
10-Lendas Brasileiras ? REBRA (2014)
11-A Pizza Literária ? Décima Terceira Fornada ? Sobrames SP (2014)
12-Antologia Histórica do Primeiro Centenário do Forte de Copacabana (2015)
13-Antologia Rio de Janeiro 450 Anos de Verso & Prosa ? UBE (2015)
14-Jubileu de Ouro ? Sobrames (2015)
15-Antologia ? Sobrames SP (2015)
16-Então É Natal ? REBRA (2015)
17-O Mundo Sem Fronteiras ? Jornal Sem Fronteiras (2016)
18- A Pizza Literária - Décima Quarta Fornada - Sobrames SP (2016)
19-Antologia - Sobrames SP (2017)
20-Antologia - 35 Anos Scortecci (2017)
21- A Pizza Literária - Décima Quinta Fornada (2018)
22- Sem Fronteiras Pelo Mundo Volume 4 (2019)
23-Antologia - Sobrames SP (2019)
24-Vozes Ítalo-Brasileiras III (2019)
25-Paulistânea - AJEB (2019)
26- Antologia - Poemas a Flor da Pele (2019)
27-Artigos no Periódico ?O Bandeirante? Sobrames SP (desde 2009)

 

PREMIAÇÃO EM CONCURSO LITERÁRIO:

Premiada inúmeras vezes em Concursos Literários, entre os quais:

Prêmio de Edição no Concurso Literário ?O Sonho? organizado pela Casa do Novo Autor com o texto ?Um Mundo Melhor? (1998).
Menção Honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesia Menotti Del Picchia (2001).
Primeiro Lugar no Concurso Minas do Ouro do XXIII Congresso da Sobrames Nacional com a poesia ?São Tantos Franciscos? (2010).
Primeiro Lugar do Prêmio Bernardo de Oliveira Martins ? Sobrames SP com a poesia ?São Tantos Franciscos? (2010).
Classificada entre os melhores textos do Concurso que originou o livro ?Um Olhar Sobre Itu? organizado pela ACADIL (Academia de Letras de Itu) com a poesia ?E O Bandeirante Ficou Só? (2012).
Primeiro Lugar no Prêmio Rubem Alves ? Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto com a poesia ?Brasileirinhos? (2015)
Segundo Lugar no I Prêmio do Trabalhador Brasileiro ? Casa do Poeta de Ribeirão Preto com o poema ?O Canto dos Trabalhadores? (2015)
Segundo Lugar no Concurso ABRAMES ? Categoria Aldravias (2015)
Menção Honrosa na Exposição Letra e Imagem, conferido pela ALAB Academia de Letras e Artes Buziana e pela Cia Arte Cultura (2016)
Primeiro Lugar no Concurso ABRAMES com a poesia "Sou Vida" (2017)
Primeiro Lugar no Concurso ABRAMES com a aldravia "Finitude" (2018)
Primeiro Lugar do Prêmio Bernardo de Oliveira Martins - Sobrames SP com a poesia "Rosas que Falam" (2018)

 

PARTICIPAÇÃO NA INTERNET

1-Integrante da equipe organizadora do Blog Sobrames São Paulo
www.sobramespaulista.blogspot.com

Acadêmico anterior

Posse: 24/04/1985 - (2º ocupante)

12 Genesio Cândido Pereira Filho bd4eb

GENÉSIO CÂNDIDO PEREIRA FILHO - Nasceu em São Bento do Sapucaí - SP, em 25 de Agosto de 1920. Filho do Juiz de Direito Genésio Cândido Pereira e de Rodolfina Marcondes Pereira. Casou-se, em 1953, com a advogada Maria aparecida Homem Pereira.

Posse na Academia Cristã de Letras em 24/04/1985.

 

Formação:

Estudou nas Escolas Reunidas em Silveira/SP, no Grupo Barão de Monte Santo e Ginásio Municipal, ambos de Mococa.

Iniciou a aprender música em Silveira, com a professora Maria Lima Julião, irmã do renomado maestro João Baptista Julião, prosseguindo com o professor Diógenes Pires de Campos em Mococa.

Diplomado em ciências Jurídicas e Sociais, em 1946 pela Faculdade de direito da USP.

 

Atividades:

Exerceu cargos e funções em várias entidades, entre as quais:

Academia de Letras de Campos do Jordão;

Associação Brasileira de Cultura;

Associação Brasileira de Estudos Plínio Salgado;

Associação Paulista de Imprensa;

Associação dos Procuradores das Autarquias Federais –APAF-SP;

Casa Plínio Salgado, Centro de Estudos Euclides da Cunha;

Centro Estudantino Guilherme de Almeida;

Clube dos Bibliófilos,

Instituto Nacional de Colonização de Reforma Agrária;

Instituto Paulista de Direito,

Instituto Popular de Ensino (Jabotical-SP)

Movimento Pró Federação americana – Buenos Aires Argentina;

Secretaria da Justiça e Negócios do Interior – SP(Promotor Público substituto no Estado de São Paulo –Capital e Santos), etc.

Participou de inúmeros Congressos, Cursos, Simpósios e afins na área de idiomas, de processo civil, reforma agrária, literaturas e cooperativismo.

 

Grande tem sido sua atividade Jornalística e de Rádio, não só se destacando como colaborador, mas também como dirigente:

Diário de Noticias;

Diário da Manhã de Ribeirão Preto;

Folha Universitária da USP,

A Tarde,

A Gazeta,

A Marcha,

Cultura e A Noticia, todos de Jaboticabal.

Arcádia: revista da Academia de Letras da Faculdade de Direito da USP, etc.

Como também tem publicou artigos em O Estado de São Paulo, inúmeros jornais e revistas do Brasil e do exterior, como Portugal, Argentina e Colômbia.

 

Pertence e inúmeras entidades culturais, entre as quais:

Academia de Letras da Faculdade de Direito da USP;

Academia Paulista de Jornalismo,

Academia Paulistana de História,

Associação dos Advogados de São Paulo,

Ordem Nacional dos Bandeirantes Mater;

Ordem Nacional dos Escritores,

Academia Itapirense de Letras e Artes,

Academia de Letras Mantiqueira,

Academia de Letras de Campos do Jordão, etc.

 

Em suas atividades editoriais:

Dirigiu a editora universitária da revista Arcádia, da Faculdade de Direito da USP.

Foi fundador e diretor do Editorial Guanumby Ltda.,

Diretor da Gráfica Tibiriçá e da Livraria Lealdade Ltda.


Teve muitas atividades no Partido de Representação Popular –PRP, ocupando vários cargos no diretório regional, inclusive a presidência.

É de sua autoria o prefácio do Código de Ética do Estudante e Extremismo e Democracia, obras de Plínio Salgado.

Ao longo de sua vida tem honrado com vários prêmios, troféus, medalhas e diplomas de honra ao mérito.

 

Entre outros:

Diploma de Explorador Del Continente Helado, da Base Chilena Antártica Teniente Marsh e Ladeco – Línea Aérea Del Cobre S/A.

 

Publicou várias obras, entre as quais:

Um Tema e Três Obras (1942);

Rui Barbosa Para A Juventude (1950);

O Eterno E O Efêmero (1975);

Declaração de Interdependência (1954);

Madame Bovary (1955);

Relação de Causalidade (1955);

Estado Perigoso e Medida de Segurança (1955);

Albert Schweitzer – Uma Vida Exemplar (1958);

Amada Imortal (1962);

Menotti Del Picchia e Uma Obra Rara (1993), etc.


Além de já ter proferido várias conferencias sobre os mais diversos temas, integrou o grupo de redatores do livro 80 Anos de “Os Sertões” de Euclides da Cunha e participa com três poemas da Antologia Itinerário Poético (Maio 1991).

 

(Fonte: Biografias de Francisco Piorino Filho). 

Fundador

 


Posse: 29/11/1968 - (1º ocupante)


Maria Semíramis Miranda Mourão nasceu em 17 de dezembro de 1906, na cidade de Diamantina (MG). Foi casada com o médico Luiz Carlos de Almeida e teve três filhos: Sérvio Tulio de Almeida, Caio Marcus de Almeida e Luiz Fernando de Almeida.

Residiu na cidade de Bauru (SP) por 30 anos, tendo se dedicado à cultura, à assistência social e ao civismo. Foi fundadora e presidente da Legião Brasileira de Assistência, onde organizou uma creche, um berçário e um jardim da infância. Fundou também o Educandário Anita Costa.

Empreendeu viagem durante cinco anos por quase todo o mundo e, em 1965, publicou três obras: Aos que Contemplam; Aos que Amam; e Aos que Trabalham.

Dentre outras diversas atividades que exerceu destaca-se a de embaixatriz brasileira junto ao Vaticano, no governo de Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976), de que foi seu colega de escola.

Maria Semíramis Miranda Mourão recebeu a comenda da Ordem dos Diamantes, da Prefeitura de Diamantina (MG), e a comenda de grande oficial da Soberana Ordem dos Cavaleiros de São Paulo Apóstolo.

Pertenceu às seguintes entidades: Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais, ocupando a cadeira no 70, cujo patrono é Francisco de Sales Corrêa Mourão (1877-1926), seu pai; Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra de São Paulo, Sociedade Geográfica Brasileira, Instituto Histórico e Genealógico Brasileiro; e Casa do Poeta de São Paulo.

Maria Semíramis Miranda Mourão destacou-se como poetisa e sonetista. Ingressou como fundadora da cadeira no 12 da venerável Academia Cristã de Letras, em 29 de novembro de 1968, escolhendo Cecília Meirelles (1901-1964) como sua patronesse. Foi a primeira mulher a ingressar nesse sodalício. Outras obras de sua lavra são: Poemas (1966) e Grupiara (poesias, 1972). Faleceu em 1984.

Posse em 29 de Novembro de 1968. Poetisa. Sonetista. Primeira mulher a tomar posse na Academia Cristã de Letras.

Patrono

Cecília Meirelles(1901-1964)Cecília Meireles (1901-1964) foi poetisa, professora, jornalista e pintora brasileira. Foi a primeira voz feminina de grande expressão na literatura brasileira, com mais de 50 obras publicadas. Com 18 anos estreia na literatura com o livro "Espectros". Participou do grupo literário da Revista Festa, grupo católico, conservador e anti modernista. Dessa vinculação herdou a tendência espiritualista que percorre seus trabalhos com frequência. A maioria de suas obras expressa estados de ânimo, predominando os sentimentos de perda amorosa e solidão. Uma das marcas do lirismo de Cecília Meireles é a musicalidade de seus versos. Alguns poemas como "Canteiros" e "Motivo" foram musicados pelo cantor Fagner. Em 1939 publicou "Viagem" livro que lhe deu o prêmio de poesia da Academia Brasileira de Letras.

Cecília Meireles (1901-1964) nasceu no Rio de Janeiro em 7 de novembro de 1901. Órfã de pai e mãe, aos três anos de idade passa a ser criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides. Fez o curso primário na Escola Estácio de Sá, onde recebeu das mãos de Olavo Bilac a medalha do ouro por ter feito o curso com louvor e distinção. Formou-se professora pelo Instituto de Educação em 1917.

Passa a exercer o magistério em escolas oficiais do Rio de Janeiro. Estréia na Literatura com o livro "Espectros" em 1919, com 17 sonetos de temas históricos.

Em 1922 casa-se com o artista plástico português Fernando Correia Dias, com quem teve três filhas. Viúva, casa-se pela segunda vez com o engenheiro Heitor Vinícius da Silva Grilo, falecido em 1972. Estudou literatura, música, folclore e teoria educacional. Colaborou na imprensa carioca escrevendo sobre folclore. Atuou como jornalista em 1930 e 1931, publicou vários artigos sobre os problemas na educação. Fundou em 1934 a primeira biblioteca infantil no Rio de Janeiro.

Cecília Meireles lecionou Literatura e Cultura Brasileira na Universidade do Texas, em 1940. Profere em Lisboa e Coimbra, conferência sobre Literatura Brasileira. Publica em Lisboa o ensaio "Batuque, Samba e Macumba", com ilustrações de sua autoria.

Em 1942 torna-se sócia honorária do Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro. Realiza várias viagens aos Estados Unidos, Europa, Ásia e África, fazendo conferências sobre Literatura Educação e Folclore.

Cecília Benevides de Carvalho Meireles morre no Rio de Janeiro no dia 9 de novembro de 1964. Seu corpo é velado no Ministério da Educação e Cultura.

Cecília Meireles é homenageada pelo Banco Central, em 1989, com sua efígie na cédula de cem cruzados novos.

Algumas de suas obras: Espectros, poesias, 1919; Baladas Para El-Rei, poesias, 1925; Vaga Música, poesias, 1942;Mar Absoluto, poesia, 1945; Evocação Lírica de Lisboa, prosa, 1945; Romance da Inconfidência,poesia, 1953;Romance de Santa Cecília, poesia, 1957; Eternidade em Israel,prosa, 1959;Escolha o Seu Sonho, crônica, 1964; Poemas Italianos, poesia, 1968; Inéditos, crônica, 1968. (Fonte Internet, Top Biografias).

 

Discurso de recepção

 Discurso de recepção - Cadeira nº 12

Discurso de posse

Discurso de posse - Cadeira nº 12