SONETOS ALÉM DO TEMPO - 2018 - XXXIII

Fonte: Ives Gandra da Silva Martins

P/Ruth

Os velhos também sonham sonhos novos
E os novos sonhos são sonhos de moços,
Assim sonham, no tempo, todos povos,
Formatando, na terra, seus colossos.

Os sonhos que sonhei quand’era jovem,
Na minha idade sonho sem receio,
No coração, estrelas inda chovem
E são de meu querer o seu esteio.

Os velhos quando sonham são mais puros
E são alegres, pois tiveram vida
E sentem-se em seu Deus bem mais seguros,
Sabendo que estão perto da partida.

Por ti, o amor me fez sempre sonhar,
Um amor tão imenso como o mar.

SP. 12 /11/2018.