Namoro Etílico

Fonte: Lázaro Piunti

O Vinho tinto e a Cachaça/Cada qual em uma taçavinho 1e9df

Na mesa tosca de um bar/Para espantar a nostalgia

E esquentar a noite fria/Puseram-se a conversar.

 

Assim falou o bom Vinho/ Moro na cartola de pinho

Que me garante o sabor/Do ramo verde da parreira

Sou filho da UVA altaneira/O vinho prolonga o amor.

 

Volitando em sua taça/Assim disse a Cachaça

Com malícia profana/Pois Deus me fez popular

Dou vida ao paladar/Minha origem é da cana.

 

O vinho retomou a palavra/Falou do homem que lavra

A terra de uva e canaviais/Ele nunca está sozinho

Bebendo cachaça ou vinho/Feliz ele produz muito mais.

 

Comigo não é diferente/A cachaça alegra gente

Sou amiga do povo pobre/Sigo assim a minha trilha

Ao passo que você brilha/Nas casas de gente nobre.

 

A conversa fluiu noite afora/Já no despontar da aurora

Pintou um clima de graça/Renderam-se no mesmo olhar

E na penumbra do bar/O vinho beijou a cachaça.

 

Lázaro Piunti - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. - 12/03/2021.

Poesias relacionadas