Quero-quero

Fonte: Reinaldo Bressani

Quero-quero disputandoReinaldo Bressani 3ab56

Seu espaço lá no campo,

Cada vez que a bola chega

Vem perigo qual relampo.

 

Defendendo o território

Onde os ovos são plantados,

A ferinha roda as asas

Contra intrusos abusados.

 

Rola a bola, voa o quero,

E atrás, um batalhão.

Pisam, batem pra valer...

Quero-quero tem vez não.

 

Desespero toma conta

Com a injusta agressão.

Duas horas de pavor

Que só traz destruição.

 

Logo o ninho destruído

Haverá de ser refeito.

E já que o quero é teimoso

Vai fazê-lo... não tem jeito!

 

E quando termina o jogo,

Lá vai ele novamente...

Como dono do gramado,

Toma conta do ambiente.

 

A cidade exterminou

Os locais de criação.

Resta ao quero tais espaços...

Não lhe deixam opção.

 

A TV exibe os fatos...

Já não dá pra ignorar.

Desequilíbrio ambiental

Causa dor e faz chorar.

 

Reinaldo Bressani - Cadeira nº 15 da ACL