Os pecados da corte!

13 Lazaro Jose Piunti 33f60Dom Pedro I deu o Grito às margens do riacho Ipiranga no dia 7 de Setembro de 1822.

Mas, o decreto da Independência fora assinado cinco dias antes, pela Imperatriz Leopoldina, na chefia da regência imperial. A Pátria brasileira deve muito a essa nobre senhora.

Maria Leopoldina nasceu na Áustria dia 22/01/1797. Arquiduquesa, prometida em casamento ao Imperador do Brasil, veio para cá aos 15 anos. Jovem inteligente, versada em diversos idiomas, amplos conhecimentos em botânica e mineralogia, ela dedicou-se ao País com desvendado amor. E suportou estoicamente o gênio e as traições do esposo. Teve com ele sete filhos e apenas quatro chegaram à idade adulta.

Maria Leopoldina era amada pelo povo. Morreu dia 11/12/1826, com 29 anos de idade. Nesse período o marido manteve diversos casos amorosos. O mais célebre foi o romance com Domitila de Castro e Mello. A moça casara-se com 17 anos com um oficial militar, tivera com ele três filhos, era espancada constantemente, separou-se, reconciliou-se e finalmente dele se afastou quando o maluco a esfaqueou numa praça em Santos. A relação com Dom Pedro foi tórrida e tornou-se pública. O Imperador arrumou a vida do pai dela, irmãos e até do seu cunhado, Boaventura Delfim, dando-lhe o título de Barão de Sorocaba. Boaventura era casado com a irmã de Domitila, Maria Benedita.

Dom Pedro engraçou-se também com Benedita e geraram um filho. Com a Domitila foram quatro filhos e um natimorto. A concessão do título de Marquesa de Santos a Domitila foi ato de provocação. D. Pedro quis ofender a família santista dos Andradas. José Bonifácio rompera com o Imperador e estava exilado na França. Já viúvo, D. Pedro procurou novo casamento e despachou o Marquês de Barbacena para a Europa à procura de alguma princesa.

Porém, foi o embaixador em Paris, Visconde de Pedra Branca quem ajeitou o consórcio com Amélia Leuchtenberg. Para amenizar a fama de devasso já espalhada na Europa, D. Pedro rompeu com Domitila. A marquesa encontrou seu verdadeiro amor casando-se com Rafael Tobias de Aguiar, o famoso Brigadeiro Tobias. Nasceram seis filhos, só três vingaram. Conviveram por 24 anos, até a morte dele. A Marquesa de Santos nasceu em São Paulo. Faleceu aos 70 anos. Nos últimos anos de sua vida tornou-se uma pessoa caridosa, humilde e auxiliava os pobres e enfermos. Está sepultada no cemitério da Consolação na capital e seu mausoléu é muito visitado.

Lázaro Piunti

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.