Olhar para trás e mirar o futuro!  

Fonte: Lázaro Piunti

     No dia 28 de novembro de 1943 três grandes lideranças mundiais reuniram-se em Teerã, capital do Irã: Franklin Roosevelt (EUA), Josef Stalin (União Soviética) eLazaro Piunti b1860 Winston Churchill (Grã-Bretanha). A Guerra estava indefinida, pois a Alemanha de Hitler era militarmente fantástica. Seja sob o efeito do uísque, da vodca ou do chá, mas o impossível aconteceu. O trio se uniu e o nazismo foi esmagado. Anos depois perguntado se não fora incoerente juntar-se a Stalin, velho inimigo, Churchill disse: “O inimigo do meu inimigo é meu amigo”!

     No dia 4 de novembro de 1947 ocorreu histórico comício no Vale do Anhangabaú em SP. O ituano Luís Gonzaga Novelli Júnior disputava com Carlos Cirilo Júnior o posto de Vice-governador paulista. Na época votava-se separadamente cada cargo. No comício, em apoio a Novelli Júnior, subiram no mesmo palanque: Getúlio Vargas, ex-ditador e Luís Carlos Prestes, líder comunista, preso nove anos por ordem de Getúlio. O jornal “O Estado de São Paulo”, no dia seguinte, publicou editorial e fez manchete de capa atacando Getúlio e Prestes - inimigos declarados - por dividirem o mesmo palanque. Resultado da eleição: O médico e jornalista de Itu, Luís Gonzaga Novelli Júnior foi eleito!

     No dia 12 de agosto de 1984 votei na Convenção Nacional do PMDB, contra a participação do governador mineiro, doutor Tancredo Neves, no Colégio Eleitoral marcado para 15 de janeiro de 1985, que elegeria indiretamente o futuro presidente da República. Formávamos o núcleo “Só Diretas”, fração do Movimento DIRETAS JÁ e rejeitávamos a aliança com Sarney que renunciara à presidência do PDS para juntar-se à oposição como vice na chapa de Tancredo. O clima era pesado e a reunião iniciada no sábado seguiu no domingo. O discurso do deputado federal maranhense Epitácio Cafeteira convenceu boa porção de convencionais. Disse ele: “fui perseguido por José Sarney, amigos foram presos a mando da família Sarney, o Maranhão sofreu nas mãos de José Sarney, mas, se for para a saúde da Democracia ter de beber esse remédio e não existir outro remédio na prateleira, ainda que amargo eu o beberei, pois o Maranhão é maior que o Cafeteira e o Brasil é maior que o Maranhão”! Aprovaram a chapa Tancredo-Sarney. Fomos apenas 104 discordantes. O resto da história todo mundo conhece!