O Brasil no exterior

Rosa Maria Custódio (Setembro/86)

BUSINESS WEEK é uma revista semanal publicada em Nova York, que aborda principalmente assuntos ligados à economia e aos negócios mais importantes que se efetuam, não apenas nos Estados Unidos, como nos principais centros de decisão econômica do mundo.

Na edição internacional desta semana, Business Week traz na capa a foto do Presidente José Sarney, superposta a uma paisagem iluminada da cidade do Rio de Janeiro. A manchete é bastante chamativa e faz alusão ao crescimento econômico brasileiro, dando uma impressão muito positiva do momento que nosso país está vivendo. Como país de terceiro mundo, o Brasil está passando uma fase de avanço muito importante na sua história e tem condições de se tornar uma grande potência no cenário internacional.

Na sua reportagem, a revista dedica seis páginas ao nosso país. Faz uma apresentação das mudanças que estamos vivendo com a implantação do Plano Cruzado e fala das dificuldades que essas medidas trouxeram para a economia e setores industriais. Ao mesmo tempo, fala dos benefícios, principalmente em relação à inflação e à mentalidade distorcida que ela estava produzindo no povo brasileiro. Neste contexto, explica as novas medidas tomadas com relação às taxas impostas na compra de carros, gasolina e viagens internacionais, para frear um consumo que colocaria em risco certas medidas do Plano Cruzado.

O Brasil, entre os países da América Latina que possuem maior dívida externo (México e Argentina), é o que apresenta melhores condições para efetuar o pagamento e, inclusive, conta com crédito para novos empréstimos, apesar de ter-se negado a fazer um acordo com o Fundo Monetário Internacional. Apenas o Japão e a Alemanha superaram o Brasil no superávit das exportações.

A revista também analisa as relações de intercâmbio econômico entre Brasil e Estados Unidos, sem deixar de colocar a irritação de alguns membros do governo norte-americano em função do comportamento do governo brasileiro em relação ao FMI. Mas como o Brasil está crescendo muito e se firmando na economia internacional, obviamente não poderá mais ser tratado como um país de terceiro mundo. Isto é, daqui para frente, as regras do jogo, tanto econômico quanto político, precisam ser mudadas. Como primeiro sintoma, temos o problema da reserva de mercado na área da Informática.

Diz a revista que os países latinos se beneficiaram com a crise do petróleo, nos anos 70, e que, enquanto o México e a Argentina depositavam dinheiro na Suíça, o Brasil investia na produtividade. Não é bem o que estamos acostumados a ouvir.

Mas, apesar do progresso econômico, o Brasil apresenta problemas sociais graves e de difícil solução. A reportagem vai fundo na vida miserável de milhões de brasileiros, favelados, mendigos, e menores abandonados nas grandes cidades do país, sem falar no nordeste. É o contraste doloroso de um país que tem tudo para ser grande.

Business Week admite que a causa dessa miséria está no descaso dos governos autoritários do regime militar para com as necessidades do povo. E mostra que nesta nova fase, com o retorno da democracia e a ênfase do novo governo na política social, o país tem chances de superar esses problemas.

A revista ainda faz um relato da atual situação política brasileira, dos partidos políticos aos movimentos sindicais. Expõe a visão de alguns economistas sobre as novas medidas, entrevista José Sarney e faz um resumo sobre a questão da Informática.