"Lixo no espaço"

Fonte: Jornal: O DEBATE - 6/5/2019

lixo no espaco fbb43Não bastasse a imundície que a espécie humana perpetra na atmosfera, envenenada por gases pestíferos, no solo, contaminado por agrotóxicos e repleto de dejetos descartados pelo desenfreado consumismo contemporâneo e a água poluída, também o espaço guarda o testemunho da insensatez da espécie racional.

Mais de meio milhão de objetos maiores do que uma bola de tênis, alguns deles com dimensões exageradamente grandes, orbitam em torno à Terra. São restos de satélites, de foguetes, de artefatos que o “conquistador” do espaço sideral abandonou. Se forem considerados os de menor dimensão, a cifra supera em muito os milhões. 

A NASA conseguiu fotografar o planeta com exatidão para registrar essa grande nuvem que a recobre. A ideia é a de um brigadeiro, o inocente docinho de chocolate, coberto de granulados. Não há um espaço livre que possa romper incólume essa carapaça de lixo espacial.

Qual o problema?

Muitos desses objetos caem sobre a terra. À evidência, na velocidade com que circulam, ainda os menores podem matar um ser humano. Mas o risco maior é o da colisão entre esse descarte e os satélites que viabilizam a comunicação online, que presidem inúmeras relações propiciadas pelo avanço tecnológico. Podem causar mal enorme. É um milagre que mais infortúnios não aconteçam, tal a situação detectada pela agência espacial norte-americana.

A tentativa de capturar tais objetos está sendo desenvolvida. Objetos voadores quais um enorme cesto, se incumbirão de filtrar as camadas mais próximas à Terra, para liberar o trânsito dos satélites essenciais à manutenção do grau de TICs – Tecnologias de Informação e Comunicação e que hoje poderão colidir com o lixo do espaço.

Se isso der certo, outro desafio estará em pauta: o que fazer com esse material?

O mundo não consegue dar paradeiro saudável para o lixo eletrônico, uma das consequências perversas da 4ª Revolução Industrial. Não contava com o lixo espacial. Mais um problema posto sobre a mesa para essa insensata raça humana, muito egoísta ao se valer de tudo o que a ciência e a tecnologia produzem. Muito comodista em adotar práticas mitigadoras do mal que ela mesma gera.

* José Renato Nalini é desembargador, ex-secretário de Educação de SP, Reitor da Uniregistral, palestrante e conferencista - Acadêmico - ocupa a cadeira nº 8 da ACL e tem como Patrono: Pe Belchior de Pontes

  • Publicado na edição impressa de 28/04/2019