Homenagem a Pernambuco e aos Pernambucanos

Helio Begliomini

 Introdução

Pernambuco, que alberga também os arquipélagos de Fernando de Noronha e São Pedro e São Paulo, é um dos 26 atuais estados da República Federativa do Brasil com extensão territorial pouco maior do que a de Portugal. Graças à produção e exportação de açucar, foi a mais rica capitania do país em época colonial. Teve participação significativa na história da nação, sendo palco da 1a (1648) e 2a (1649) Batalhas dos Guararapes e Insurreição Pernambucana, combates considerados como precursores do Exército Brasileiro, além de movimentos de índole nativista e libertária, tais como a Guerra dos Mascates, Revolução Pernambucana, Confederação do Equador e a Revolta Praieira.

Pernambuco, atualmente, com cerca de 9.209.000 habitantes, é o sétimo estado mais populoso do Brasil, além de deter o melhor serviço de coleta de esgoto das regiões Norte, Nordeste e Sul Brasileira. A Região Metropolitana do Recife é a mais populosa das regiões Norte-Nordeste; contém um dos principais polos industriais do país e o Estaleiro Atlântico Sul, o maior do hemisfério sul. Pernambuco tornou-se o décimo estado mais rico da nação e sua capital, Recife, é a cidade com maior PIB per capita das capitais das regiões Norte-Nordeste.

Industriais

Dentre os nomes pernambucanos de destaque da indústria brasileira encontram-se: Norberto Odebrecht (1920-), José Ermírio de Morais (1900-1973), Edson Mororó Moura (1929-2009) e Antônio de Queiroz Galvão (1923-).

Patrimônios

Pernambuco detém um extenso patrimônio artístico, histórico e arquitetônico, incluindo dentre ele a igreja católica mais antiga em funcionamento do país – São Cosme e Damião –, construída em 1535, no município de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife. Dentre as mais tradicionais manifestações populares pernambucanas citam-se o frevo e o maracatu. Mais recentemente, na década de 1990, surgiu o manguebeat, uma mistura do rock, pop, rap e do funk com ritmos autóctones. Não se pode olvidar que o Galo da Madrugada, que reúne mais de 2 milhões de pessoas, é considerado o maior bloco carnavalesco do mundo!

Apesar de Pernambuco possuir um litoral de 187 quilômetros de extensão, moldurado com praias paradisíacas e falésias, em 2007, através do portal JC Online, do Sistema Jornal do Comércio de Comunicação, foram eleitas pela internet as Sete Maravilhas de Pernambuco, estando entre elas apenas três relacionadas ao litoral: Arquipélago de Fernando de Noronha (também Patrimônio Natural da Humanidade), Cachoeiras do Município de Bonito, Centro Histórico de Igarassu, Ilhota da Coroa do Avião (Igarassu), Psicinas Naturais de Porto de Galinhas (Ipojuca), Sítio Histórico de Olinda e Vale do Catimbau (Buíque).

Intelectuais

De férteis terras pernambucanas nasceram grandes nomes da intelectualidade e ciência brasileira, tais como: José Correia Picanço (médico-cirurgião, patriarca da medicina brasileira, 1745-1823); Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo, mais conhecido por Joaquim Nabuco (diplomata, jurista e historiador, 1849-1910); Gilberto Freyre (sociólogo e antropólogo, 1900-1987); Josué Apolônio de Castro, mais conhecido por Josué de Castro (médico e cientista social e político, 1908-1973); Mário Schenberg (físico, 1914-1990); José Leite Lopes (físico, 1918-2006); João Cabral de Melo Neto (poeta e diplomata, 1920-1999); Paulo Freire (educador, 1921-1997); Leopoldo Nachbin (matemático, 1922-1993) e Paulo Ribenboim (matemático, 1928-), dentre tantos outros.

Músicos e Compositores

Da mesma forma, Pernambuco se destaca na música, tendo nomes consagrados no país como: Luiz Gonzaga do Nascimento ou simplesmente Luiz Gonzaga (compositor, cantor e instrumentista, 1912-1989); José Bezerra da Silva ou simplesmente Bezerra da Silva (cantor, compositor e instrumentista, 1927-2005); Juvenal de Holanda Vasconcelos, consagrado como Naná Vasconcelos (músico, 1944-); Alceu Valença (cantor, 1946-); Osvaldo Lenine Macedo Pimentel ou simplesmente Lenine (cantor e compositor, 1959-); e Francisco de Assis França, mais conhecido pelo codinome de Chico Science (cantor, 1966-1997).

Artes Cênicas

Nas artes cênicas também nasceram em seu território: José Abelardo Barbosa de Medeiros, consagrado com a alcunha de Chacrinha (comunicador de rádio e televisão e apresentador programas de auditório, 1917-1988); Nelson Falcão Rodrigues consagrado como Nelson Rodrigues (jornalista e damaturgo, 1912-1980); Jones Melo (ator, 1946-2013); Arlete Salles Lopes ou simplesmente Arlete Salles (artriz, 1942-); Aguinaldo Silva (dramaturgo e cineasta,1943-); Marco Antônio Barroso Nanini, conhecido como Marco Nanini (ator, diretor e dramadurgo, 1948-); Miguel Arraes de Alencar Filho, mais conhecido com a apelido de “Guel” Arraes (cineasta e diretor de televisão, 1953-); e George Moura (dramaturgo e roteirista, 1984-).

Artes Plásticas e Designers

Nas artes plásticas e designers  reúne nomes como: Vicente do Rego Monteiro (pintor, escultor e desenhista, 1899-1970); Cícero dos Santos Dias, mais conhecido por Cícero Dias (pintor, 1907-2003); Francisco de Paula Coimbra de Almeida Brennand, mais conhecido por Francisco Brennand (escultor e ceramista, 1927-); Aloísio Sergio de Magalhães ou simplesmente Aloísio Magalhães (designer gráfico, 1927-1982); Andree Guittcis (designer de joias, 1961-); e Romero Francisco da Silva Britto ou simplesmente Romero Britto (pintor, escultor e serígrafo, 1963-).

Silogeus Literários

Na literatura, a Academia Pernambucana de Letras, fundada por Joaquim Maria Carneiro Vilela (1846-1913), em 26 de janeiro de 1901, é um dos mais antigos silogeus no gênero do Brasil em atividade, sendo precedida apenas por três outros afins:  A Academia Cearense de Letras, fundada por Tomás Pompeu de Sousa Brasil Filho (1852-1929), em 15 de agosto de 1894; A Academia Brasileira de Letras, fundada por Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908), em 20 de julho de 1897; e a Academia Paraense de Letras, fundada por Domingos Antônio Raiol (1830-1912), o Barão de Guajará, fundada em 3 de maio de 1900.