Artigos para presentes

Rosa Maria Custódio - (Agosto/86)

Em maio deste ano tive a oportunidade de visitar uma exposição de artigos de papelaria e artes gráficas na cidade de Nova York. Fiquei maravilhada e agradavelmente surpreendida com tanta coisa bonita. O que existe de mais moderno, mais criativo, mais colorido e atraente, em termos de cartões, agendas, papéis de carta, envelopes, calendários, ornamentos para festas infantis, embalagens para presentes etc. e etc., estavam expostos nos stands de mais de 800 empresas, vindas dos mais variados pontos dos Estados Unidos.

“The Nacional Stationary Show”, como eles denominam a exposição, foi realizada no Jacob K. Javits Convention Center of New York, que foi inaugurado em abril deste ano. Este centro de convenções é considerado, em termos arquitetônicos, o mais moderno, grandioso e arrojado do mundo! Ocupa cinco quarteirões e tem capacidade para receber 85.000 pessoas por dia. Tem espaço para a realização de seis feiras ou exposições simultaneamente, além de 100 salões para encontros, reuniões ou convenções.

O centro também possui uma enorme galeria com lojas, restaurantes, terraços e serviços de vídeo-informações e traduções, e postos de primeiros socorros. Seu desenho arquitetônico é composto de uma montagem de cubos de vidros que refletem a luz durante o dia e se tornam transparentes durante a noite! O centro de convenções, em si mesmo, é um verdadeiro espetáculo!

Agora, em agosto, tive a oportunidade de voltar ao Jacob K Javits Center, desta vez para visitar a Feira Internacional de Presentes de Nova York (The New York Internacional Gift Fair). Fiquei deslumbrada e não podia ser diferente, no meio de tanta coisa linda!

Mais de 1800 stands, representando empresas dos mais variados lugares do mundo, expuseram seus produtos, ou seja, artigos para presentes. A exposição foi dividida em seis setores, cada um com determinado tipo de mercadoria: papelaria e artes gráficas, objetos decorativos e ornamentais – feitos manual ou industrialmente; artigos de cama e mesa; acessórios pessoais como perfumaria, joalheria etc.; e o que eles chamam de “accent on design”, que são objetos na forma de móveis e acessórios para casa, super modernos e de forte apelo visual. Estes objetos representam o que há de mais moderno e sofisticado no mundo da criatividade e são feitos com os materiais mais incríveis!

Muito mais que uma exposição, é uma grande experiência, em meio a exibidores, compradores e mercadorias de todo o mundo, reunidos num mundo de negócios que é também uma festa de cores e criatividade!

Em temos de organização, tudo é perfeito, afinal estamos na cidade mais potente, moderna e criativa do mundo! Os novayorquinos sabem disso e não se fazem de rogados ao distribuir emblemas com os dizeres: “eu estive no centro do mundo” (I’ve been to the center of the world).

Feiras de papelaria, artes gráficas e presentes é o que não falta nos Estados Unidos. Isso é apenas uma amostragem do que significa ser um país desenvolvido e rico, um país de primeiro mundo, uma potência mundial. Mostra que as necessidades básicas como alimentação, habitação, educação e saúde, há muito foram satisfeitas, e que a maioria da população pode se dar ao luxo de consumir o supérfluo. Bom para eles. Vivem numa sociedade onde as desigualdades sociais não são tão evidentes. Vivem cercados de coisas bonitas, atraentes, coloridas e alegres... O único problema é a grande tendência ao consumismo...