A escola como instituição social e bioética

Fonte: Carlos Ferrara Junior

No processo de evolução, a humanidade acumulou saberes que foram sistematizados como conhecimentos. Esse conhecimento apresenta uma naturezaCarlos Vergara 1 6d88d dinâmica, pois está em contínua expansão e atualização, renovando-se constantemente.

É na escola que encontramos, como instituição social e bioética, o centro da educação sistemática, e tem como função básica a transmissão seriada do conhecimento universal. Contudo, entende-se que se faz necessário reforçar no cotidiano dos educandos a vivência de valores essenciais para a sobrevivência da comunidade como cooperação, justiça, respeito ao próximo e a valorização do trabalho, além de vários outros valores. Portanto, além das metodologias ativas tão possíveis hoje, os valores tradicionais devem ser imprimidos no cotidiano escolar.

É nesse contexto e por meio da seleção e organização dos conteúdos curriculares de forma ética que a escola moderna poderá transmitir o conhecimento, e também trabalhar, na prática cotidiana de sala de aula, os valores pensados como desejáveis na formação de novas gerações, buscando sempre o resgate da dignidade da pessoa humana dentro de uma sociedade que anseia pelo conhecimento de forma constante.

Diante dessa conjuntura, amplia-se o significado de um adequado e coerente plano de desenvolvimento institucional (PDI), documento norteador das práticas e da visão de futuro das Instituições de Ensino Superior. Desse modo, cumpre atrair o debate para uma discussão acerca do lugar das universidades contemporâneas, em particular suas especificidades, em contextos de modernização como é o caso latino-americano e, especialmente, brasileiro. Recolocam-se, desta forma, questões fundamentais acerca da formação acadêmica ante a exigência de produção do conhecimento científico. Contudo, para vencer o desafio de uma realidade tão complexa, é necessário construir um caminho em que a dimensão do conhecimento científico e da excelência acadêmica seja um compromisso de toda a comunidade universitária para a formação de um profissional social e Bioético.

Uma excelente formação profissional não depende apenas de conhecimentos técnicos adquiridos na formação superior. A capacidade de buscar informações e com ela construir conhecimentos, de relacionar-se com os demais membros da sociedade, de compreender-se na cultura contemporânea e de planificar ações com resultados, são indispensáveis no profissional capaz de interagir produtivamente no mercado e exercer plenamente sua cidadania. Esse é o fundamental papel das Instituições de Ensino Superior na atualidade e merece uma reflexão constante, sempre pensando no referencial da beneficência que o ensino trará ao educando.

Isto posto, entendemos que respeitando a autonomia do corpo discente e docente dentro das Universidades, atrelado à componente competência no binômio ensino/aprendizagem, será garantida uma formação de qualidade, em que os interesses econômicos não se coloquem acima do compromisso da educação cumprindo rigorosamente com as práticas desejáveis e necessárias para uma perfeita formação acadêmica social e bioética.
 

Prof. Dr. Carlos Ferrara Junior - Pró-Reitor Acadêmico do Centro Universitário São Camilo
Ocupa a Cadeira nº 31 na Academia Cristã de Letras.