Raquel Naveira e a nova Sede da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras

 

por: Rubenio Marcelo *

ASL nova sede debb4

A Acadêmica Raquel Naveira, membro da Academia Cristã de Letras e membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, participou na noite de 25 de agosto da memorável Sessão Solene de Inauguração da nova sede da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), que se situa na Rua 14 de Julho nº 4715, Bairro São Francisco, Campo Grande/MS.

Contando com presenças maciças de acadêmicos (e seus familiares) - e várias outras autoridades (inclusive o governador Reinaldo Azambuja e o ex-governador André Puccinelli) e convidados - o evento, que fez parte especial da programação de aniversário de Campo Grande, revestiu-se de muito brilho e marcou a história cultural de MS. O concorrido evento contou também com presenças de presidentes e representantes de academias e instituições literárias de outros estados, bem como personalidades políticas e culturais.

Após formação da mesa, o Secretário-Geral da ASL saudou os presentes, declarou aberta a sessão solene e fez breve explanação sobre o ato e a história da Academia. A solenidade prosseguiu com discursos dos integrantes da mesa e a entrega da "Medalha do Mérito Literário", comenda da ASL, aos seguintes homenageados: Governador Reinaldo Azambuja, ex-governador André Puccinelli e o acadêmico Rêmolo Letterielo. Após a fala final do Governador, que destacou a importância incentivadora da ASL no contexto da cultura literária do Mato Grosso do Sul, assim como o compromisso do Governo do Estado com a Academia e a cultura de modo geral, este convidou a todos para se dirigiram à entrada do prédio, onde foi descerrada a placa inaugural.

Construída em terreno que foi doado à Academia pela família Metello, com projeto técnico dos arquitetos Octavio Ferreira Loureiro e Milena Adri e com acompanhamento do engenheiro Jary Castro (que é filho do saudoso acadêmico Arassuay Gomes de Castro), a obra - que é uma das principais conquistas da atual diretoria - teve a sua pedra fundamental lançada na manhã de 14/12/2011.

A construção iniciou-se efetivamente no ano de 2014, com a sensibilidade e apoio do então governador André Puccinelli, e posteriormente apoio também do governo atual de Reinaldo Azambuja. Assim, com fisionomia arquitetônica circular e estilo imponente, fachada emoldurada em belas colunas metálicas (ao todo, 126 pilares dispostos em três fileiras) e frontais ‘paredes de vidro’, biblioteca, salas de reunião e amplo auditório, a obra possui arrojado estilo de vanguarda, sendo sem dúvida uma das mais modernas sedes de academias estaduais de letras do país e, portanto, além de referência cultural de Mato Grosso do Sul, também um ponto turístico.

Ainda sobre o aspecto da frente da ASL, explica o arquiteto Octávio Loureiro: esta fachada faz alusão a uma ‘floresta do conhecimento’ (formada simbolicamente por ‘lápis brancos’ - as altas colunas - que eventualmente se colorem com efeitos de luzes projetadas de holofotes multicores). Dotado de elegância e equilíbrio, o design demarca também a predominância da referência às ‘colunas gregas’, da época dos primeiros templos históricos e culturais.

Prestes a comemorar o seu 46º aniversário, a Academia nasceu à sombra de uma árvore, em Campo Grande, fundada pelos escritores Ulisses Serra, Germano Barros de Souza e José Couto Vieira Pontes, no dia 30 de outubro de 1971, na estância Gisele (de propriedade de Ulisses). Consta nos registros acadêmicos que a denominação inicial (Academia de Letras e História de Campo Grande) predominou até o final de dezembro de 1978, quando em assembleia geral, às vésperas da instalação da nova unidade da Federação (MS), que se daria no dia 1º de janeiro/1979, a instituição foi transformada em Academia Sul-Mato-Grossense de Letras.

Com 40 Cadeiras, aos moldes da ABL, a ASL registra ao longo da sua existência uma história marcante voltada para a defesa do vernáculo e o cultivo da arte literária, zelando e incentivando todas as derivações da cultura nacional e estadual. Foi sediada por muitos anos na Rua Rui Barbosa nº 2624 (centro de Campo Grande), em casa doada pelo acadêmico Luiz Alexandre de Oliveira.

Crédito: Rubenio Marcelo (Secretário-geral da ASL)