Uma anja chamada Frances

Deus sempre coloca anjos em nossas vidas. Só precisamos estar atentos aos sinais que a vida nos propicia para detectá-los.

O coração do meu pai parou de bater no dia 2 de setembro de 2020. Infartou.

No dia 4, Frances escreveu o lindo texto “Carta do pai à filha”. Mensagem que traduziu o que meu pai me diria diante do meu sofrimento.

Só li essa carta no dia 11 de setembro, após ter retornado do Paraná para São Paulo e reiniciado as atividades profissionais.

Quando ela enviou, li somente a chamada do e-mail, e acreditei que fosse mais uma crônica para ser inserida no site da Academia Cristã de Letras. Não me atentei que era uma anja amiga me confortando.

Confesso que chorei copiosamente, pois ouvi a voz de meu pai ao ler a Carta do Pai à Filha.

Já reli seis vezes e me emocionei a cada leitura, chegando às lágrimas.

Minha gratidão amiga confreira por sua sensibilidade em ser instrumento de conforto nesse momento de dor.

 

CARTA DO PAI À FILHA

04/09/2020 – por Frances de Azevedo

 

Não se desespere, minha filha.baixa Pai 8fa33foto by Di Bonetti

Sei que parti sem me despedir.

Foi um breve instante, sequer senti.

Quando dei por mim, não mais

Estava em nossa casa...

Aos poucos, fui percebendo o acontecido.

Mãos gentis, suaves, me ampararam.

Vi-me envolto num manto de luz,

Num lugar de paz e música suave,

Que será doravante minha nova morada...

Saiba que foi muito amada.

Agradeço por ter vindo cuidar de mim

Com tanto esmero e amor filial!

Foi uma dádiva estarmos juntos

Nesses últimos dias:

Presente divino que guardo

Com muito carinho...

Continue assim com seu lindo

E generoso sorriso!

Despeço-me, porém fique certa de

Que continuarei lhe amando...