Cidão e a pedagogia do apagador!

   Não tive o privilégio de ter sido seu aluno! O que não me exclui do honroso quadro dos seus discípulos, pois ele foi um mestre da vida!

   ALCIDES SCALET (* 19-06-1933 + 22-01-2021) viveu intensamente os seus dias. Em todas as atividades e ações abraçadas e, convenhamos, não13 Lazaro Jose Piunti 33f60 foram poucas, ele as desempenhou com extraordinária correção e genuíno entusiasmo. Ser apaixonado pelo que fazia, por isso mesmo fazia bem. E fazia o bem! Lembrar-se-ão dele como o mestre condutor da estridente “Fanfarra do Regente”; do orientador espiritual dos cursos de preparação de noivos; do ECC – Encontro de Casais Com Cristo – Cursilhos de Cristandade – e tantos outros Movimentos da Igreja Católica à qual ele fielmente pertencia. Por batismo e convicção!

   Muitos dos seus ex-alunos teceram comentários hilariantes nestes dias lembrando-se do “professor Cidão”, em suas aulas de matemática, quando, ao ver um aluno desatento, trazia-o à realidade, disparando contra ele um giz certeiro. Quando não, era famoso o “apagador voador” aterrissando nos costados do desafeto. Ao que consta nunca alguém se feriu, jamais aluno fez queixa à diretoria ou algum pai protestou pelas atitudes sui gêneris do exigente e divertido professor!

   Alcides Scalet foi o inventor da pedagogia do apagador! E os seus resultados surtiram os mais positivos efeitos. Trinta ou quarenta anos depois não há aluno ou aluna que não o reverencie e dele não guarde senão as mais afetivas lembranças. São doces recordações, salpicadas de saudade, recheadas de amor filial e o ameno sabor da generosa gratidão!

   Aos seus filhos, à sua descendência, quanto deve pesar a responsabilidade do exemplo que ele deixou como herança. Trata-se de precioso legado, edificado por este homem, grande na estatura, Cidão no apelido e gigante no coração humano e bondoso. Por excelência! O inventor da pedagogia do apagador deixa uma mensagem que não se apagará.

Jamais!

 

Lázaro Piunti - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Crônicas relacionadas