Quero voltar ao meu passado

Fonte: Frances de Azevedo - 11/2020

Quero retornar ao meu passado...Frances de Azevedo 1 25820

Pois, lá, tenho minha família por inteiro,

Tenho abraços, almoço e jantar,

Com todos à volta da mesa,

Conjugando o verbo amar...

Quero retornar ao meu passado...

Onde as estações do ano seguiam,

Cada uma, seu ciclo e não se misturavam:

A Primavera, ao acordar,

Derramava-se em flores de esperança;

O Verão intenso convidava a passear;

O Outono era pura poesia e

O Inverno não tinha o tal de veranico...

Quero retornar ao meu passado...

Onde as CARTAS circulavam:

Prenhes de noticias tão esperadas;

E ESCREVER era forma simpática,

Humana e comum de se dizer:

Saudade. Eu lhe amo. Volta logo...

Havia diálogo falado e escrito;

A voz era ouvida, escutada:

Linguagem humana apreciada.

Os gestos, o olhar, importavam,

Eram imprescindíveis...

Quero retornar ao meu passado...

Pois, hoje, as “figurinhas”

Ditam as regras, ocupam espaço das letras

Para transmitir sentimentos.

É uma avalanche enorme

Que sequer dá chance pra Pensar,

Refletir, Raciocinar, Dialogar...

Aliás, esses verbos foram suprimidos,

Voltamos à Era das Cavernas,

Retrocedemos no aprendizado...

Quero retornar ao meu passado...

Onde o humanismo se fazia presente

No ir e vir de toda gente e em nossa mente.

Nos aniversários havia bolo de verdade,

Pessoas! Sim Pessoas, Gente!

Presentes embrulhados com fitas,

Com cartões afetivos escritos à mão,

Sorrisos nas chegadas e nas partidas,

Apertos de mãos e acenos reais...

Quero retornar ao meu passado...

Pois, apesar de ainda escrever, poetar,

Recebo de volta uma “figurinha”

Escolhida ao acaso, a esmo,

Num gesto mecânico, onde basta

Clicar com o dedo para escolher

Uma resposta, que lá está prontinha.

Esse vocabulário é extenso, inimaginável,

Criativo, absurdo, devastador;

Estraçalhou com a nossa língua

Fazendo Olavo Bilac revirar-se no túmulo,

Pois se esqueceram da Última flor do Lácio

Inculta e bela...

Quero retornar ao meu passado,

Eu quero, de verdade...

 

Frances de Azevedo - Cadeira 39 da ACL