Médicos Escritores Paulistas Natos nos Séculos XVIII e XIX

Helio Begliomini

A Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames), que já completou 10 lustros de existência (!), foi fundada em 23 de abril de 1965 pelo cirurgião, escritor e esteta Eurico Branco Ribeiro (1902-1978), como Sociedade Brasileira de Escritores Médicos (Sbem). A efeméride deu-se na pauliceia, nas dependências da Associação Paulista de Medicina (APM), ocasião em que 18 esculápios tornaram-se membros fundadores.

Nesses cinquenta anos a entidade expandiu e conta com regionais e afiliados em diversos estados da federação. Contudo, a vocação ou ligação do médico com as artes em geral, e, particularmente, com a literatura, não é somente frequente e inerente ao seu mister, mas também uma manifestação atávica.

Esta pesquisa proporcionou a identificação de dois médicos escritores paulistas nascidos no século XVIII e outros 85 nascidos no século XIX. Foram graduados em sua grande maioria no Rio de Janeiro ou em faculdades do exterior.

Encontram-se abaixo, em ordem alfabética, dados sumariados de cada um deles, que foram passíveis de ser depreendidos desta investigação.

Esse grande conjunto demonstra que o torrão paulista também foi outrora fértil na literatura, e que os médicos escritores do presente desenvolvem suas potencialidades oriundas da herança de seus ancestrais.

I. Século XVIII

1. Francisco Álvares Machado de Vasconcelos nasceu em 1791, na cidade de São Paulo, e faleceu em 1846, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Saudade da Pátria” (soneto); “A Um Libertino”; “Ode”; e “Proclamação aos Farroupilhas” (1840). Colaborou no Almanaque de São Paulo.

2. José Maria Cambuci do Vale nasceu em 1791, na cidade de São Paulo, e faleceu em 1837. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Academia Médico-Cirúrgica do Rio de Janeiro em 1823. Escreveu “Relatório Sobre as Memórias de Honório Gurgel do Amaral” (1830); “Aos Respeitáveis e Briosos Habitantes do Império do Brasil”; e “Plano de Organização da Escola Médica” (1831).

II. Século XIX

1. Adriano Júlio de Barros nasceu em 1864, na cidade de Campinas, e faleceu na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1889. Colaborou em “O Estado de São Paulo” e na imprensa de Campinas.

2. Alberto de Melo Seabra nasceu em 1872, na cidade de Tatuí, e faleceu em 1934, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1894. Colaborou no “Estado de São Paulo”; “Correio Paulistano”; “Ilustração Brasileira” (Rio de Janeiro); “O Jornal” (Rio de Janeiro). Escreveu “Ensaios de Pan-Americanismo”; “Tobias Barreto” (1914); “Animais que Pensam” (1918); “Cartas Abertas”; “Problemas Sul-Americanos” (1923); “O Problema do Além e do Destino” (1922); “Versos Áureos de Pitágoras” (1928); e “A Alma e o Sub-Consciente” (1923).

3. Alcides Prado nasceu em 1893, na cidade de Limeira. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Belo Horizonte em 1918. Colaborou no “Limeirense” e escreveu “As Serpentes do Brasil” (1945).

4. Alexandre Guimarães Santos nasceu em 1894, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina de São Paulo em 1922. Colaborou no “Cruzeiro do Sul” (Sorocaba); “Revista Genealógica Brasileira”; e “Anuário Genealógico Latino”. Escreveu “Traços Biográficos de Martim Afonso de Souza e Seus Descendentes”.

5. Alfredo Ellis nasceu em 1850, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1925. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Filadélfia (EUA) em 1868. Escreveu “Discurso no Senado Federal Sobre Tarifas de Estradas de Ferro” (1903); “Discurso no Senado Federal Sobre as Docas de Santos” (1906-1907); “Discurso no Senado Federal Sobre as Docas e a Valorização do Café” (1908) e “Discursos” (1910).

6. Américo Brasiliense de Almeida Melo Filho nasceu em 1864, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1942. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1889. Escreveu “Memória Histórica da Escola de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia de São Paulo” (1907).

7. Américo Maciel de Castro Junior nasceu em 1896, na cidade de Franca. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1920. Escreveu produção esparsa.

8. Antônio de Almeida Prado nasceu em 1889, na cidade de Itu, e faleceu em 1965, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1912. Escreveu “Seara de Esculápio” (1932); “As Doenças Através dos Séculos”; e “Escolas de Ontem e Hoje” (1961)

9. Antonio Ferreira de Almeida Junior nasceu em 1892, na cidade de Joanopólis, e faleceu em 1971, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina de São Paulo em 1921. Colaborou na imprensa. Escreveu “Crendices e Superstições Brasileiras Ligadas à Escolha do Nome” (conferência, 1927); “O Direito de Infecção e o Código Penal” (1928); “Direito de Autopsia?” (1931); “O Hiato Nocivo na Vida Social dos Menores” (1933); “O Alcoolismo no Brasil Colônia” (1934); “Nos Domínios da Superstição: Mau Olhado e Figa” (1935); “O Casamento Sob Hipnose” (1935); “O Espiritismo é uma Religião?” (1938); “A Embriaguez no Teatro de Shakespeare” (1939); “A Ilegitimidade no Estado de São Paulo” (1939); “Paternidade” (1940); “Biologia Educacional” (1939); “A Escola Pitoresca”; “A Perícia Médico-Legal no Código de Processo Civil” (conferência, 1940); “Aspectos da Nupcialidade Paulista” (1940); “A Idade para Casar” (1940); “A Embriaguez Habitual do Funcionário” (conferência, 1940); “Embriaguez Habitual: Crime ou Doença?” (1940); “A Medicina e Aplicação da Lei Sobre Acidentes do Trabalho” (conferência, 1941); “Os Reveladores da Mentira” (1940); “Sobre o Aguardentismo Nacional” (1940); “O Exercício da Medicina e o Novo Código Penal” (1941); e “Alcântara Machado e a Medicina Legal Brasileira” (1941).
10. Antônio Mário Gouveia nasceu em 1879, na cidade de Pindamonhangaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1905. Colaborou na “Tribuna do Norte” (Pindamonhangaba). Escreveu “Produção Poética Esparsa”.

11. Antônio Pinheiro de Ulhoa Cintra nasceu em 1837, na cidade de São Paulo, e faleceu em 1895, nessa mesma cidade. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Relatórios Oficiais”.

12. Arnaldo Vieira de Carvalho nasceu em 1867, na cidade de Campinas, e faleceu em 1920, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1889. Colaborou em “O Estado de São Paulo” com pseudônimo.

13. Artur Fernandes Campos da Paz nasceu em 1854, na cidade de Bananal, e faleceu em 1899, na cidade de Niterói. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1878. Escreveu “Conferência Sobre a Abolição da Escravatura” (1883); “Manual de Viticultura” (1888); “A Falsificação de Vinhos”; “Relatório ao Governo de Minas Gerais”; “Agronomia”; “Fabricação de Águas Minerais”; “Vinhos Fictícios”; “Conferência Sobre as Uvas de São Paulo”; “Propaganda Agrícola”; e “Diário dos Desterrados do Cucui” (1892).

14. Astrogildo Cesar de Oliveira nasceu 1899, na cidade de Botucatu. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Niterói. Escreveu “Estrelas Cadentes” (poesia, 1918).

15. Augusto Cesar de Miranda Azevedo nasceu em 1851, na cidade de Sorocaba, e faleceu em 1907, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1874. Redigiu a “República”, e colaborou em a “Província de São Paulo”, “Gazeta de Campinas”, “Federação” e “Opinião Nacional”. Escreveu “Fatos Históricos da Política Republicana e a Cisão do PRP” (1897); “A Liberdade Profissional Perante as Constituições da União e do Estado de São Paulo” (1898); “Prefácio à Carta de João Vieira Almeida” (1900); “Frederico Fomm (biografia, 1879); e “Luis Barbosa da Silva” (biografia, 1880).

16. Augusto Militão Pacheco nasceu em 1866, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1954. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1889. Escreveu obras sobre a doutrina espírita

17. Azael Álvares Lobo nasceu em 1893, na cidade de Campinas, e aí faleceu em 1964. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Dirigiu o “Diário do Povo” (Campinas).

18. Benedito Godói Ferraz nasceu em 1889, na cidade de Rio Claro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1916. Escreveu “Dentro da Noite” (poesia) e “No Meu Silêncio” (poesia, 1923).

19. Benedito Marcondes Cesar nasceu em 1893, na cidade de Pindamonhangaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1920. Escreveu “Canto do Cisne”; “Foi” (comédia); “Ausência” (comédia); “O Morcego” (tragédia); “A Filha do Humorista (drama); “Maquiavel” (drama); “O Teatro no Brasil”; “A Musa dos Violinos (poesia, 1917); “Violinos” (poesia, 1918); “Bélgica Coroada de Espinhos” (poema, 1919); “Verônica” (romance, 1921); “Guiso de Cascavel” (conto, 1928); “Âncora” (poesia); “Antigamente (poesia); “Eleutério” (poema); “Epopeia de Sangue e Fogo” (poema); “Estácio de Sá” (história); “Flor de Samambaia” (romance); “Interlagos (romance); “Maringá” (romance); “Destinos” (romance); “Tudo pode Acontecer (romance); “Perdoa-me” (poesia); “Trapos” (poesia); “Barão Homem de Melo” (história); “Getúlio Perante a História”; “O Rio das Mortes” (geografia); “Jornalismo” (crônicas); “Herança Mórbid

”; “Psicoses Modernas”; “A Falta de Educação Sexual das Moças Brasileiras”; “O Gênio Retardatário do Padre Vieira”; “O Desvio de Atuação em Guerra Junqueiro”; “Atenuantes e Agravantes” e “Telhado de Vidro” (poesia, 1923).
20. Benjamim Reis nasceu em 1881, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina de São Paulo. Colaborou no jornal “A Esperança” (São Paulo).

21. Bernardo Ribeiro Magalhães nasceu em 1864, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1925. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1887. Colaborou na imprensa e escreveu “Discursos”.

22. Braz Bicudo de Almeida nasceu em 1885, na cidade de Itu. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1908. Colaborou em a “Federação” e “Município” (Itu); “Mensageiro” (Jaú) e “Folha da Manha” (São Paulo).

23. Bruno Mazzini nasceu em 1888, na cidade de Campinas, e faleceu em 1954, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1910. Escreveu “Minhas Orações” e “Discursos”.

24. Caio Simões nasceu em 1883, na cidade de São Manoel. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1908. Escreveu “Almas Gêmeas”.

25. Canuto Abreu nasceu em Taubaté. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Evangelhos Gregos”.

26. Carlos Costa nasceu na cidade de Pindamonhangaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1884. Escreveu “História Natural” (1938); “Elementos de Física, Química e História Natural” (1938); “Química” (1938); “História Natural” (1939); “Biologia” (1944); e “Ciências Naturais” (1946).

27. Carlos Penteado Stevenson nasceu em 1895, na cidade de Campinas. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Ainda a Grande Avenida: Assistência Infantil e Educação Sanitária” (1944); “Meu Pai” e “O Dealbar da Imprensa”.

28. Celso Silveira Resende nasceu em 1886, na cidade de Campinas. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1908. Escreveu “Considerações Acerca da Medicina Portuguesa no Século XVIII” (1933).

29. Cesário Eugênio Gomes de Araujo nasceu em 1806, na cidade de Cunha, e faleceu em 1892, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Memória Sobre a Cidade de Angra dos Reis Desde seu Primeiro Berço até a Presente Era de 1849”.

30. Cesário Nazianzeno de Azevedo Mota de Magalhães nasceu em 1817, na cidade de Itu, e faleceu na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1841. Colaborou no “Almanaque Literário” (São Paulo). Escreveu “Recordações Históricas” (1873); “Resposta ao Questionário do Programa do Congresso Agrícola” (1878); “Porto Feliz e as Monções para Cuiabá” (1884); “Um Caso de Locura do Juiz de Capivari”; “A Caipirinha” (comédia-drama); “Desinfecções em Santos” (1894); “Relatório do Secretário do Interior em São Paulo” (1894-1895); “Higiene em São Paulo”; e “A Navegação de Juquiá: Estradas de Ferro”.

31. Ciro Vieira da Cunha nasceu em 1897, na cidade de Sorocaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1922. Colaborou em “A Folha” (Rio); “Tribuna” e “Diário da Manhã” (Vitória). Escreveu “Precisa-se de um Marido” (comédia, 1943); “Variações Sobre o Teatro Nacional”; “Espera Inútil” (1934); “Alguma Poesia” (1942); “Sinfonia das Ruas de Vitória” (1943); “No Tempo de Paula Nei”; “Canções da Tarde” (1950); “O Dialeto Brasileiro” (folclore, 1933); e a “Correspondência de Machado de Assis” (crítica, 1941).

32. Claro Cesar nasceu e faleceu na cidade de Pindamonhangaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou na imprensa. Escreveu “Discursos Parlamentares”.

33. Claro Homem de Melo nasceu em 1862, na cidade de Pindamonhangaba, e faleceu em 1925, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1888. Colaborou na imprensa.

34. Cláudio Justiniano de Souza nasceu em 1876, na cidade de São Roque, e faleceu em 1954, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1897; Escreveu “Das Belas Artes” (1910); “Pater” (romance, 1913); “Eu Arranjo Tudo” (comédia, 1915); “Flores de Sombra” (comédia, 1916); “A Renúncia” (1917); “Assustado das Pedrosas” (Comédia, 1917); “Da Eva Antiga à Eva Moderna” (1917); “Um Homem Que Dá Azar” (comédia, 1918); “Outono e Primavera” (1918); “Ritmos e Ideias” (1920); “A Jangada” (comédia, 1920); “As Sensitivas” (comédia, 1920); “La Petite et le Grand” (1920); “A Vida e a Flor” (1921); “Ave, Maria” (1921); “Maria e as Mulheres Bíblicas” (1921); “A Saudade” (1921); “O Milhafre” (comédia, 1921); “O Turbilhão” (comédia, 1921); “O Exemplo de Papai” (comédia, 1921); “Os Bonecos Articulados” (comédia, 1921); “Uma Tarde de Maio” (1921); “O Galho Seco” (comédia, 1922); “O Conto do Mineiro” (comédia, 1923); “A Escola de Mentiras” (comédia, 1923); “Noves Fora, Nada” (comédia, 1924); “A Mantilha” (1924); “Os Infelizes” (romance, 1926); “A Arte de Seduzir” (1927); “Os Mestres de Amor” (1928); “De Paris ao Oriente” (1928); “O Que Não Existe” (1929); “Os Arranhacéus” (1929); “Conquistas Amorosas de Casanova” (1931); “Rosas de Espanha” (1933); “O Grande Cirurgião” (comédia, 1933); “Mariuza” (opereta, 1933); “Um Romance Antigo” (1933); “Três Novelas” (1933); “Teatro Ligeiro” (1936); “Fascinação” (1936); “Viagem à Região do Polo Norte” (1939); “Terra do Fogo” (1939); “O Humorismo de Machado de Assis” (1939); “Impressões do Japão” (1940); “Os Paulistas. Seu Passado, Seu Presente” (1941); “Os Últimos Dias de Stefan Zweig” (1942); “Papai, Mamãe e Vovó”; “A Conversão” (novela); “Pela Mulher”; “As Mulheres Fatais” (romance); “Discurso na Academia Brasileira de Letras”; “Pátria e Bandeira”; “Um Esposo Racional”; “Le Sieur de Beaumarchais”; “O Marido Surrado e Contente”; “A Luta das Gerações” (romance); “O Velho Ciumento de Cervantes”; “A Mulher Que se Queixa do Marido”; “A Maçã do Paraíso”; “Uma Balzaquiana em Apuros”; “O Sol e Sombra” (contos); “As Duas Realezas” (conferência); “Assistência aos Escritores” (conferência); “O Teatro Brasileiro no Século XVI ao XIX” (conferência); “As Amantes de Chateaubriand”; “A Vida e Obra de Strindberg” (conferência); “A Vida Tormentosa de Edgar Poe” (conferência); “Bernard Shaw” (conferência); e “Milton e a Liberdade de Imprensa” (conferência).

35. Delduque Vieira Palma nasceu em 1879, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro, e faleceu em 1954, na cidade Tambaú. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1900. Colaborou na imprensa de Tambaú.
36. Edgard Barbosa de Barros nasceu em 1880, na cidade de Jambeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou em a “Careta” (Rio de Janeiro) e “Journal Telegraphique” (Berna). Escreveu “Memória Histórica dos Telégrafos no Brasil” (1908); “Convenção Telegráfica Internacional e Respectivo Regulamento (tradução, 1908); “Handbook for Weroless Operators” (tradução); “Guia Telegráfico” (1911); “Memória à Conferência Financeira de Nova Iorque (1911); “Projeto de Regulamento para a R. G. dos Telégrafos” (1923); “Apontamentos à Conferência Inter-Americana de Comunicações Elétricas no México” (1924); “Manual de Contabilidade para o Uso da R. G. dos Telégrafos” (1930); “Programas para as Duas Cadeiras de Contabilidade Pública e de Economia e Finanças” (1934); “Número Impar” (romance, 1947) e “Estação de Águas” (novela, 1949).

37. Ernesto de Souza Campos nasceu em 1883, na cidade de São Paulo, e faleceu em 1970, nessa mesma cidade. Formou-se pela Faculdade de Medicina de São Paulo. Escreveu “Temas Diversos”; “Ordem de Malta”; “Catedrais da Europa”; “Castelos de Ontem e de Hoje”; “O Sorriso da Virgem”; “Leonor de Lencastre”; “A Casa Primaz de São Paulo”; “O Apostolo de Aviz”; “Ordens Equestres”; “Legion d”Honeur”; “Meio Século de Ensino Médico de São Paulo”; “Associação dos Cavaleiros de São Paulo”; “Páginas Andinas”; “No limiar da Academia Paulista de Letras”; “As Sete Noivas da Montanha”; “O Tosão de Ouro e a Ordem da Rosa”; “A Torre e o Sino”; “Livro de Horas”; “Problema Universitário” (1938); “Educação Superior no Brasil” (1940); “Instituições Culturais e de Educação Superior no Brasil” (1941); “Universidades – Cidades Universitárias” (1946); “Temas Universitários” (1952); “História da Universidade de São Paulo” (1954); e “Cidade Universitária da Universidade de São Paulo” (1954).

38. Euclides Pereira de Andrade nasceu em 1879, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1934; Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1900; Escreveu “Beliscos e Piparotes” (1929); “Caipiras e Caipiradas” (1933); “Velhos Gaiteiros” (crônicas, 1923); e “Estilhaços de Granada” (1933).

39. Eugênio Frota de Souza nasceu na cidade de Piracicaba, e faleceu na cidade de São Paulo. Colaborou na imprensa.

40. Eugênio Marcondes Homem de Melo nasceu em 1854, na cidade de Pindamonhangaba, e faleceu em 1887, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1877. Colaborou na “Tribuna do Norte” (Pindamonhangaba). Escreveu “Um Leilão” (poesia).

41. Francisco Antônio Nardy nasceu em 1848, na cidade de Itu, e aí faleceu 1907. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Bruxelas (Bélgica). Escreveu “Psicologia Cotidiana” (1945).

42. Francisco de Assis Berelli nasceu na cidade de Bragança. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu produção esparsa.

43. Francisco Franco da Rocha nasceu em 1864, na cidade de Amparo, e faleceu em 1933, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou em “O Estado de São Paulo”.

44. Francisco Marcondes Romeiro nasceu em 1840, na cidade de Pindamonhangaba, e faleceu em 1911. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1866. Colaborou na imprensa e escreveu “Discursos Parlamentares”; e “Código de Posturas do Município de Pindamonhangaba” (1877).

45. Frederico de Marco nasceu em 1890, na cidade de São Paulo, e faleceu na cidade de Araraquara em 1960. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Roma. Escreveu “O Telégrafo Sem Fio”; “A Reversibilidade dos Fenômenos Psíquicos”; “A Maré Eletro-Telúrica”; “A Terceira Imunidade”; “A Materialização da Luz por Choque de Fótons”; e “O Efeito Compton-Invertido”.

46. Gabriel de Toledo Piza e Almeida nasceu em 1851, na cidade de Porto Feliz, e faleceu em Paris, em 1925. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Pensilvânia (EUA) em 1876. Colaborou na “Gazeta de Campinas”. Escreveu “La Morale et la Politique” (Paris) e “Incidente Piza-Rio Branco” (1911).

47. Gustavo Armbrust nasceu em 1880, na cidade de Campinas, e faleceu em 1953, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou na imprensa.

48. Gustavo de Oliveira Godoi nasceu e faleceu na cidade de Pindamonhangaba. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Discursos Parlamentares” e colaborou na imprensa.

49. Heitor Ricardo Maurano nasceu em 1894, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1951. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1915. Colaborou na “Gazeta” (São Paulo) e jornais do Rio de Janeiro. Escreveu “Versos Que Não Rasguei” e produção esparsa na imprensa.

50. Henrique Macedo nasceu em 1880, na cidade de Jacareí, e faleceu em 1944, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Filadélfia (USA). Colaborou no “Paladino” (São Paulo), revista “Iris” (São Paulo); “A Saudade” (São Paulo); “A Tribuna” (São Paulo); “Comércio de São Paulo”, revista “Crisálida” (Jacareí); “Farol” (Serra Negra); “Correio Paulistano”; “Jornal do Comércio” (São Paulo); revista “Borboleta” (São Paulo); “Progresso” e no “Cromo” (São Paulo). Escreveu “Pátria Brasileira” (poesia); “Paisagens que Passam” (crônica); “Prosa Nobre” (conferências); e “Nova Primavera” (poesia, 1924).

51. Honorato Faustino de Oliveira nasceu em 1867, na cidade de Itapetininga, e faleceu em 1948, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Curitiba. Escreveu “Lições Práticas de Pontuação e Acentuação do A” (1919); “Lições Práticas de Pontuação do A pela Figura da Crase (1939).

52. Inácio Marcondes de Rezende nasceu em 1859, na cidade de Pindamonhangaba, e faleceu em 1919. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Bordeau (França) em 1882. Escreveu “Genia” (memória, 1887).

53. Inácio Xavier Paes de Campos Mesquita nasceu em 1845, na cidade de Itu, e faleceu em 1899. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “Genealogia de Famílias Paulistas”.

54. Joaquim de Paula Souza nasceu em 1833, na cidade de Itu, e faleceu em 1887. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1857. Escreveu “Escola de Caça” (1863); “Itinerário de São Paulo ao Paraguai” (1868); “Álvares de Azevedo ou os Amores da Mocidade” (drama, 1870); “Folhas Silvestres”; “Campos Novos” (1878); “Palmares”; “Amores Celebres dos Primeiros Povos do Globo” (1878); “Manual de Literatura” (1878); “Homenagem de Um Brasileiro ao Grande Representante da Nacionalidade Portuguesa: Luís de Camões” (1880); “Garibaldi na Barra de Santos”; “A Ramalheteira de Paris”; “Atribulações de um Médico de Roça”; “Guia de Poços de Caldas” (1880); “Livrinho Feito para Responder aos Questionários e Mais Alguns Pontos de História Pátria e Cousas Curiosas do Brasil”; “A Batalha de 24 de Maio, o Que Fizeram os Paulistas?” (1887); “O Cacique Vinagre: Proezas de um Cão Veadeiro”; e “Miguel Topile: Astúcias de um Veado Matreiro”.

55. Joaquim Floriano de Godoi nasceu em 1827, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1902. Formou se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1852. Escreveu “Ligação do Vale do Paraíba à Via Férrea de Santos”; “A Província de São Paulo” (1875); “Das Fábricas de Velas de Sebo e de Sabão do Rio de Janeiro”; “Ligação do Vale do Paraíba à Via Férrea da Província de Minas Gerais” (1872); “Ouro Preto”; “A Província do Rio Sapucaí” (1883); “Tentativa Centralizadora do Governo Federal” (1882); “O Elemento Servil e as Câmaras Municipais da Província de São Paulo” (1887); “Projeto de Lei Para Criação da Província do Rio Sapucaí” (1887); “A província do Rio Sapucaí e o Jornalismo da Província de São Paulo” (1888); e “História de São Paulo”.

56. Jorge de Andrade Maia nasceu em 1892, na cidade de São Paulo, e aí faleceu. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Paris em 1920. Escreveu “Índice Geral da Revista de Medicina” (1916-1931); “Índice Geral dos Anais da Faculdade de Medicina de São Paulo” (1926-1934); “Índice Geral da revista de Biologia e Higiene” (1927-1931); “Catálogo de Teses da Faculdade de Medicina de São Paulo” (1935); “Bibliotecas Públicas Municipais” (1935); “Índice Catálogo Médico Brasileiro” (1937-1938); “Índice Catálogo Médico Paulista” (1860-1936); “Índice Catálogo Médico Brasileiro” (1939); “Índice Catálogo Médico Brasileiro” (1940); “Catálogo Dicionário de Teses da Faculdade de Medicina de São Paulo” (1932-1950); “Índice Geral dos Anais da Faculdade de Medicina de São Paulo” (1935-1950); “Índice Catálogo Médico Brasileiro” (1941-1950).

57. José Cássio de Macedo Soares nasceu na cidade de São Paulo e aí faleceu em 1963. Formou-se pela Faculdade de Medicinado Rio de Janeiro. Colaborou na imprensa.

58. José de Paula Leite de Barros nasceu em 1855, na cidade de Itu. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Pensilvânia (EUA, 1878). Escreveu “Notas Genealógicas da Família Paula Leite” (1935).

59. José de Queirós Guimarães nasceu em 1895, na cidade de Campinas, e faleceu em 1954, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1919. Colaborou no “Diário de São Paulo” e na “Folha da Manha” (São Paulo).

60. José Libero nasceu em 1887, na cidade de Itatiba, e faleceu em 1964, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1910. Dirigiu a “Gazeta” (São Paulo).

61. José Marcelino de Morais Barros nasceu em 1859, na cidade de São Paulo. Escreveu “Projeto de Propaganda Brasileira na Europa” (1906); “Discurso” (1913); “Motion Presentée au Cours International d’Expansion Commerciale à Barcelone” (1914).

62. José Martins Bonilha de Toledo nasceu em 1871, na cidade de Capivari, e faleceu em 1903. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Bruxelas (Bélgica) em 1895. Escreveu “Instalação das Campainhas Elétricas” (1894).

63. José Martins Fontes nasceu em 1884, na cidade de Santos, e aí faleceu em 1937. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1907. Escreveu “Verão” (1917); “As Cidades Eternas”; “Volúpia”; “Vulcão”; “Rosicler”; “Marabá”; “Pastoral”; “Prometeu”; “Escarlate”; “O Céu Verde”; “Schahrazade”; “Arlequinada”; “Partida para Cítera”; “Nós, As Abelhas”; “Decameron”; “Kropotkin”; “Boemia Galante”; “Laranjeira em Flor”; “O Colar Partido”; “A Fada Bom-Bom”; “A Flauta Encantada”; “Sombra, Silêncio e Sonho” (1933); “No Templo e na Oficina”; “Sevilha, Granada”; “Terras da Fantasia”; “Paulistânia”; “Guanabara” ; “Nos Rosais das Estrelas”; “Sol das Almas”; “I Fioretti”; “Canções no meu Vergel”; “Teatro” (1935); “Fantástica” (prosa); “Indaiá” (póstumo); “Nos Jardins de Augusto Comte” (póstumo); “Calendário Positivista” (póstumo); “Canções de Ariel”; Santos, Suprema Glória da Pátria” (1925); “Como os Poetas Amam” (conferência); “O Mar”; “A Terra”; “O Céu”; “A Alegria”; “A Dança”; “A Cavalaria”; “A Neurose”; “Bakhounine”; “O Parnasianimo”; “Eça de Queirós”; “Coelho Neto e Olavo Bilac”; “Pompeyo Gener”; “Redenbach”; “Maupassant”; “Flaubert”; “Claude Bernard”; “Pasteur”; “O Lírio”; “Luis Delfino”; “Era Uma Vez...”; “Olavo Bilac, Poeta Cômico”; “O que os Cegos Veem”; e “O que os Pássaros Dizem” (conferências).
64. José Nascimento de Almeida Prado nasceu em 1892, na cidade de Itaberá. Formou-se pela Faculdade de Medicina de São Paulo em 1934. Escreveu “Trabalhos Fúnebres na Roça: Região Sul do Estado” (1947); “Cantadores Paulistas de Porfia e Desafio” (1947); e “Baile Pastoril no Sertão da Bahia” (1951).

65. José Pereira Gomes nasceu em 1882, na cidade de Itapetininga, e faleceu em 1968, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1909. Colaborou nas revistas “Jaci” (Itapetininga); “Fon-Fon” (Rio); e em “O Estado de São Paulo”. Escreveu poesias esparsas.

66. José Rodrigues Almeida nasceu e faleceu na cidade de Piracicaba. Colaborou na imprensa local.

67. Júlio Azurem Furtado nasceu em 1882, na cidade de Santos. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1902; Colaborou em “Plateia” (São Paulo); “Jornal do Comércio” (Rio); e “Jornal do Brasil” (Rio).

68. Lamartine Hugo Ferreira Alves nasceu em 1886, na cidade de Franca. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1921. Escreveu “Uma Novela de Amor” (romance).

69. Licínio Prado Almeida nasceu em 1873, na cidade de Itu, e faleceu em Porto (Portugal), em 1945. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Porto (Portugal). Escreveu “Lês Nostagies” (poesia, 1919); “Poivre et Sel” (poesia, 1921); “Solar do Além” (1935) e “La Panche”.

70. Licurgo de Castro Santos nasceu em 1853, na cidade de Guaratinguetá, e aí faleceu em 1893. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1876. Redigiu o “Cinco de Janeiro” (Guaratinguetá); “Norte de São Paulo” (Guaratinguetá); e “Atalaia” (Guaratinguetá). Escreveu “Littré” (1885); “A Filosofia Positivista e o Espiritualismo” (1866) e “Duas Palavras Sobre a Filosofia Positiva e o Espiritualismo” (1888).

71. Manoel Marcondes de Rezende nasceu em 1891, na cidade de Brotas. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1915. Colaborou no “Diário de Notícias” (Rio de Janeiro); “Gazeta de Notícias” (Rio de Janeiro); “Diário Alemão” (São Paulo); “Pátria Nova” (São Paulo) e “Império” (Ceará). Escreveu “Do Absolutismo Pedagógico em Face do Estado Moderno” (1933); “Pelo Brasil Uno” (1935); e “Da Nacionalização da Escola” (1936).

72. Manuel de Abreu nasceu em 1892, na cidade de São Paulo, e faleceu em 1962, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1913. Escreveu “Não Ser” (1924); “Substância” (1928); “Poemas Sem Realidade”; “Meditação” (1936); “Mensagem Etérea” (poesia, 1946); “A Luta Contra o Universo” (ensaio, 1946); “Anjo Embriagado”; “O Futuro da Civilização” e “Viagem ao País de Ninguém”.

73. Manuel de Assis Vieira Bueno nasceu em 1848, na cidade de Sorocaba, e faleceu em 1905, na cidade de Campinas. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou na imprensa campineira.

74. Manuel Martins Bonilha nasceu em 1820, na cidade de Porto Feliz, e faleceu em 1899, na cidade de Porto Alegre. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Glessen (Alemanha), em 1844. Escreveu “Discurso Histórico Sobre El Premier Grito de La Independência em México” (1881); Prefácio à “América Meridional e Setentrional” (1882); “Genealogia dos Martins Bonilha, Toledo Piza e Amaral Gurgel” (1895).

75. Miguel da Silva Pereira nasceu em 1871, na cidade de São Jose dos Barreiros, e faleceu em 1918, na cidade do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Escreveu “À Margem da Medicina”.

76. Narbal Marsillac Fontes nasceu em 1899, na cidade de Tietê, e faleceu em 1960. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1930. Dirigiu a “Revista Nacional”, revista infantil “Mirim”; e “Pindorma” (Rio). Escreveu “Historia do Bebê” (cartilha, 1933); “No Reino do Pau-Brasil” (fábulas, 1933); “Ilha do Sol” (1935); “Vida de Santos Dumont” (1935); “Brasileirinho” (1938); “Precisa-se de Um Rei” (1938); “Companheiros” (1939); “Ler, Escrever e Contar” (1940); “Senhor Menino” (poema, 1940); “Regina, a Rosa de Maio” (1942); “A Gigantinha” (1946); “A Espingardinha de Ouro” (1946); “Esopo, o Contador de Histórias” (1947); “O Gigante de Botas” (novela, 1947); “O Espírito do Sol” (1946); “O Talismã de Vidro” (1947); “A Boa Semente” (1948); “O Micróbio Donaldo” (1949); “A Trança Mágica” (1949); “Viagem Prodigiosa de um Côco da Bahia” (1949); “Rui, o Maior” (1949); “Coração de Onça” (romance, 1951); “A Heroína Sertaneja”; “Festa no Céu”; “Paraíso Verde”; “Curiango” (soneto, 1951); e “Vitória”, tradução de Knut Hansum.

77. Nelson da Silva Leite nasceu em Jaboticabal e faleceu na cidade de Porto Ferreira. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Colaborou na imprensa de Santa Rita de Passa Quatro.

78. Nicolau Pereira de Campos Vergueiro nasceu em 1851, na cidade de Itapeva, e faleceu na cidade de São Paulo em 1924. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Berlim em 1874. Escreveu “Os Estabelecimentos de Viticultura”.

79. Oscar Homem de Melo nasceu em 1893, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1932. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Bordeaux (França) em 1908. Colaborou na imprensa.

80. Ovídio Pires de Campos nasceu em 1884, na cidade de Itu, e faleceu em 1950, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1905. Escreveu “Vinte Anos de Cátedra” (1934) e “Medicina e Médicos” (1930).

81. Paulo Morais Barros nasceu em 1886, na cidade de Piracicaba, e faleceu em 1940. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1900. Escreveu “Política do Café: Ano de 1929” (discurso, 1929); e “O Problema da Viação Nacional” (1936).

82. Pedro Allegretti Filho nasceu em 1895, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Paraná em 1920. Escreveu “Nova Orientação do Estudo de Geografia”; “Noites de Insônia” (poesia); “Ouro Velho” (poesia) e “Atração do Azul” (poesia).

83. Raul Carlos Briquet nasceu em 1887, na cidade de Limeira, e faleceu 1953, na cidade de São Paulo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1910. Escreveu “Educação Física”; “Psicanálise” (tradução de Jones, 1930); “Psicologia do Adolescente” (1933); “Disciplina do Gesto”; “Sociologia” (1935); “Locke, Filósofo, Educador”; “Ensino Médico”; “A Tendência da Sociologia Contemporânea”; “Navarro de Andrade” (1943); “Palestras e Conferências” (1944) e “História da Educação” (1946).

84. Salvador Rocco nasceu na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1968. Formou-se pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo. Escreveu “Escola Normal de São Paulo” (1946); “Escola Modelo Normal”; “Américo Ferreira de Abreu”; “Dr. Francisco Aurélio de Souza Carvalho”; “Vicente Mameve de Freitas”; “Conselheiro Laurindo Abelardo de Brito”; “Monsenhor Camilo Passalacqua”; “José Estácio Corrêa de Sá e Benevedes”; “Paulo Bourroul”; “Dr. Antônio Caetano de Campos”; “Alfredo Bresser da Silveira”; “Ramon Rosa Dorval”; e “Reivindicando um Nome”.

85. Ulisses de Freitas Paranhos nasceu em 1880, na cidade de São Paulo, e aí faleceu em 1954. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1902. Escreveu “Ensaios” (conferências, 1917); “Discursos e Conferências”; “Idéias e Comentários”; “História da Música Brasileira”; “Discursos Acadêmicos”; “Palas” (1924); “Histórias das Artes Plásticas” (1944); “Nuno de Andrade” (1951); “Livros e Médicos de Meu Tempo” (1952).