Espera

No berço da minha infância embalava a inocência!

Na cama da mocidade eu cultivava sonhos!

No leito da velhice recordo o pretérito.

E... Espero...!

(Lazaro Piunti)